Sessão de Cinema hoje está... Apaixonadamente tecnológica!

Sabe quando a gente sai do cinema ainda suspirando por algum personagem que o filme mostrou? Foi exatamente assim que eu saí do cinema hoje.

Desde quando WALL-E apareceu na internet eu me encantei com o robozinho criado para limpar a terra do lixo que ficou acumulado devido ao descaso do Homem (sim o filme faz uma puta de uma crítica ao lixo descontrolado que fabricamos)!

WALL-E, com o tempo cria um “defeito”: ele desenvolve sentimento. Passa a ser curioso e com isso começa uma coleção interessante de coisas que para nós não passam de lixo. Coisas como caixas de um anel de noivado, ou então aquele antigo “cubo mágico” (que se coloca as cores iguais); isqueiros, enfim, tudo inútil que ele encontrava que achava “bonito” ele levava para sua casa. Sua melhor amiga é uma baratinha que faz companhia para ele na maior parte do tempo.

WALL-E tem um vídeo-cassete e quando chega em casa assiste a um musical (sim com pessoas de carne e osso). Com o tempo ele passa a se sentir solitário. O mais apaixonante do WALL-E são os “olhos”. Se você for ao cinema e não se apaixonar nos primeiros 5 segundos, saia do cinema e vá assistir algum “Fim dos Tempos” da vida, porque você não se apaixonará.

A Terra está deserta, os humanos vivem há mais de 600 anos em naves espaciais e vez ou outra mandam algum robô de reconhecimento para saber se o ambiente ainda está muito poluído. Em uma dessa viagem, WALL-E conhece Eva, uma robô- diretriz que procura vida na Terra. Mas ao invés de alguma outra coisa, ela encontra o WALL-E que a ajuda a desenvolver algum tipo de sentimento.

Quando EVA tem que voltar para a nave AXION, WALL-E vai atrás dela e lá ele encontra os seres humanos, completamente sedentários e solitários. Eles não reconhecem o mundo ao seu redor, e por mais que a pessoa esteja ao seu lado, eles ainda conversam através dos monitores virtuais. Relacionamentos são virtuais.

WALL-E chega como O revolucionário quando o Homem vê que um robô é capaz de ter mais sentimentos que eles. Então, ele cria amigos (maquinas e Humanos) e ensina ao Homem que ser solidário é a melhor coisa.

Como eu falei no início do Post, o filme traz uma crítica IMENSA para o sedentarismo, e o descaso do ser humano com o nosso meio ambiente. Eu conheço pessoas que vão adorar esse filme justamente por isso. São pilhas e pilhas de lixo. E quando eu falo lixo, lê-se: Pneus; geladeiras velhas, enfim tudo que o homem não utiliza mais e joga fora. E mostra que a tecnologia é boa, mas que ela com o passar do tempo deixa o Homem preguiçoso.

Enfim, seja por você gostar da tecnologia da Pixar; seja por você ver como a preocupação com o lixo está chegando ao cinema, ou simplesmente porque você é apaixonado pelo WALL-E, a PIXAR acertou novamente. Academia pode colocar o nome dele como o grande vencedor do OSCAR de animação do ano que vem.

PS: Curta da Pixar... MARAVILHOSO!

Postado por vanessa.sc às 21:08:59
  | Encaminhar Este Post

Mais sobre Guerra nas Estrelas! George Lucas não está vencido.

 

As futuras gerações não precisarão construir um museu para George Lucas, porque George Lucas já fez isso por si mesmo.

Em cada lado da Golden Gate Bridge, ele mesmo construiu dois templos onde os filmes "Guerra nas Estrelas" são feitos e cultuados: no Rancho Skywalker em Marin County e em seu novo complexo de escritórios, o Letterman Digital Arts Center, em Presidio, ele reuniu todos os tipos de relíquias em homenagem à saga de seis filmes, desde as mais impressionantes (réplicas em tamanho real dos vilões Darth Vader e Boba Fett) até o mais enaltecedor (uma fonte do mestre Yoda) e o mais depreciativo (um bloco de grafite contendo o menosprezado Jar Jar Binks)... Para continuar lendo a matéria CLIQUE AQUI... (UOL Cinema)

Postado por vanessa.sc às 11:29:19
  | Encaminhar Este Post

Smallville: Uma história de amor.

Todo mundo apresenta uma válvula de escape em algum determinado momento da vida. Seja devido a estresses ou por qualquer outro motivo. Em 23.04.02 o dia do mês é uma data que eu jamais vou esquecer. O ano é mais inesquecível ainda. Foi um ano difícil.

Na Warner Channel começa uma série... O Slogan dessa série era: Porque toda história tem um começo. Nascia aí o meu mais antigo caso de amor... Exatos 7 anos.

Smallville surgiu na minha vida quando ela estava um caos, literalmente, num ano podre da minha vida. A partir de Setembro foi exatamente quando eu me peguei à série de maneira que nem eu mesma entendo. Não importa se ela é ruim (aos olhos de alguns), não importa que não seja a história verdadeira do Clark Kent (afinal de contas, é uma época onde somente havia especulações) e não importa sinceramente, que as pessoas fãs de “Lost” e “24 Horas” da vida não gostem. Realmente não me importa.

Eu amo a série. Amor assim só quando eu tinha 16/17 anos, época em que eu descobri Anos Incríveis, ainda na TV Cultura. Mas hoje é diferente. Smallville me ajudou de forma que eu nem imaginava que pudesse acontecer. Eu estava deprimida, chateada, triste... E Smallville era a minha válvula de escape.

Então surge o que eu ainda considero O AMOR PERFEITOClana. Muita gente fala que não é perfeito porque eles nunca conseguem ficar juntos (maior parte da culpa fica nas mãos dos roteiristas), mas eu pergunto: para ser perfeito, o amor precisa ser vivido? Quer dizer, é preciso que as pessoas fiquem juntas para que esse amor seja perfeito? A minha resposta é não. Claro que não, o importante é saber que ele existe e confiar nesse sentimento. E eles confiam, com tantas idas e vindas, chuvas de meteoros, espaçonaves, casamentos, clones e tudo o que envolve a história de Smallville eles sempre estiveram lá... Sabiam que podiam confiar um no outro. E olha que foram MUITAS coisas que aconteceram para que eles deixassem de se amar. Mas não, a confiança que eles tinham no sentimento que sentiam era o diferencial. E ISSO torna o amor perfeito. ISSO mostra que o amor é eterno... ISSO É AMOR VERDADEIRO.

Eu não escondo de ninguém que minha personagem predileta é a Chloe. Isso todo mundo sabe, mas ela não teria a mesma química com o Clark que a Lana tem. A Chloe só funciona a amizade. E QUE amizade. Ela é o exemplo de como uma amizade com pessoas diferentes funciona. Não existe cobrança nem egos. Existe Chloe e Clark somente. Quanto a isso, eu realmente afirmo: A Chloe é o par perfeito para o Clark... Se não houvesse a Lana. Eles são almas gêmeas. Certo, eu sei que no futuro existirá a Lois. Mas a Lois é o amor real. Aquele que surge devido às circunstâncias, eles são companheiros, se entendem e se ajudam. Mas não tem a mesma química que tem com a Lana.

A Lana é única e o amor deles também. Então isso me ajudou a ver que, mesmo sendo apenas fantasia, o amor pode sim dar certo. Eu sei que Smallville se perdeu no meio do caminho. Mas eu já ri (muito), já chorei (o centésimo episódio foi realmente ruim) com o sofrimento do Clark... De tudo que pode acontecer com ele, vê-lo sofrendo me faz ficar sem ar. Não consigo sequer olhar direito para a tela da TV quando eu o vejo chorando por qualquer coisa. Dói meu coração, dá vontade de cuidar (e isso sem contar que beleza como a dele não existe) o coração dele o torna mais terráqueo quem muitos que existem por aqui. Até agora, o famoso nó na garganta aparece quando eu lembro e a falta de ar surge logo em seguida.

Acho que por isso eu adoro tanto a série. Claro, não gosto quando vejo tantas pessoas falando mal dela, a maioria fala de uma maneira ruim. Críticas sempre são boas, mas não as que eu escuto. E isso me deixa chateada. Eu juro que na maioria das vezes eu preciso me controlar, porque se eu realmente for explodir, não vou me controlar e vou brigar feio. Mas não gosto. Então não discuto. Deixo isso comigo, EU gosto, então as outras pessoas não têm nada a ver com isso. Até fiz algumas pessoas passarem a assistir de tanto que eu ficava suspirando pelo Clark, que PRA MIM é o ser humano perfeito. Um pouco medroso, confesso, e indeciso, mas nada que estrague o pacote!...

Enfim... Smallville é uma parcela importante da minha vida. Pra mim terminou nessa temporada, no momento em que a Lana deixou um vídeo para o Clark dizendo que estava deixando ele livre para seguir o “tal” destino que ele tem. Aí Smallville termina. Por mais que eu saiba que ela irá aparecer em alguns episódios... Ela deveria ter se despedido dele. Ela deveria ter tido a chance...

A oitava temporada será uma temporada puramente comercial, como foi a quarta. Eles não tinham história direito, não tinham uma idéia central no qual focar a série e saiu o que vemos na quarta que praticamente mostrou como surgiu a Fortaleza da Solidão (para ir por água abaixo nessa sétima temporada) e só se vai entender a sétima temporada quem está assistindo desde o início... Essa foi uma jogada bacana dos produtores (Que não estarão de volta na oitava) e confesso, foi um presente para quem sempre acompanhou a série. Acreditem... Afinal de contas é uma pessoa que sabe “quase” tudo de Smallville.

Postado por vanessa.sc às 13:01:58
  | Encaminhar Este Post

Essa escassez de palavras que têm me incomodado já está indo longe demais, são dias e dias pensando em algo criativo para poder escrever e postar no blog, mas não chega nada assim de tão impactante. Não pelo menos pra mim.

Falar de cinema? Como, se não há um só filme interessante para falar que esteja passando no cinema... Claro existe alguns que eu andei alugando, os que foram interessantes para falar, eu já falei. Até Nárnia eu estou em falta, provavelmente vocês não irão acreditar nisso, mas até agora, acho que seja a terceira semana de exibição, eu só fui ao cinema no dia de estréia. Confesso, é melhor que o primeiro, mas ainda assim não é NÁRNIA pra mim, ADOREI o filme, mas só.

Com o final da semana de história, minhas noites estão mais tranqüilas e calmas, ou seja, um saco. Já tá na hora de férias não é? Mas infelizmente somente no meio de Julho. O bom que já está um pouco mais perto.

A Bel ontem mandou um email avisando o dia e a hora que ela virá, já me pediu o Cachorro quente, hehe somente ela mesmo. Terá a noite, já que ela chegará no horário do almoço. Quanto ao resto... É o resto... Ainda esperando o dia 13.08... Edward Cullen.

 

Postado por vanessa.sc às 13:05:50
  | Encaminhar Este Post

The Kill - 30 Seconds to Mars

What if I wanted to break
Laugh it all off in your face
What would you do?
(oooh ooooh ooooh ooooh)

What if I fell to the floor?
Couldn't take this anymore
What would you do?
(do,do,do)

Come break me down
bury me, bury me!
I am finished with you

What if I wanted to fight
Beg for the rest of my life
What would you do?
(oh, oh, oh)

You say you wanted more
What are you waiting for?
I'm not running from you (from you)

Come break me down
Bury me, bury me!
I am finished with you!
Look in my eyes
You're killing me, killing me!
All I wanted was you

I tried to be someone else
But nothing seemed to change
I know now, this is who I really am inside!
Finally found myself! Fighting for a chance I know now,
This is who I really am!

Ah, haaah
Ah-ha ohh
Ah, haaah

Come break me down
Bury me, bury me!
I am finished with you, you, you!
Look in my eyes
You're killing me, killing me!
All I wanted was you
Come break me down
Break me down, break me down!

What if I wanted to break? (You say you wanted more)
What if I... (What are waiting for?)
What if I... (I'm not running from you)

Bury me, bury me...

Postado por vanessa.sc às 21:51:24
  | Encaminhar Este Post

"Em meio a descobertas e sobressaltos, Edward é, sim, perigoso: um perigo que qualquer mulher escolheria correr.”

Só vim pra deixar os parabéns do carinha mais fofo, educado, inteligente, gentil, romântico, amigo, paciente, protetor... Enfim PERFEITO que existe... Edward Cullen... Parabéns!

Postado por vanessa.sc às 00:36:53
  | Encaminhar Este Post

"Antes de você, Bella, minha vida era uma noite sem lua. Muito escura, mas havia estrelas - pontos de luz e razão... E aí você apareceu no meu céu como um meteoro.
De repente, tudo estava pegando fogo; havia brilho, havia beleza. Quando você não estava lá, quando o meteoro caiu no horizonte, tudo ficou escuro. Nada havia mudado, mas os meus olhos haviam ficado cegos com a luz. Eu não conseguia mais ver as estrelas. E não havia mais razão pra nada
".
(Edward Cullen)

Uma das explicações do Ed do que ele realmente sente pela Bella! Esse livro é fantástico!

Postado por vanessa.sc às 15:28:21
  | Encaminhar Este Post

Nunca misture amizade com dinheiro”. Essa frase que eu passei a vida inteira escutando nunca foi tão verdadeira quanto nesses últimos tempos. Duas pessoas que aparentemente eram amigas, pelo menos demonstravam isso, hoje não suportam ficar no mesmo ambiente. Bom de qualquer forma, essa frase é a verdadeira. É estranho isso porque eu convivo com os dois, e por mais que eu saiba que ambos estão errados em alguns pontos, eu não posso tomar partido por ninguém; mas confesso que eu tenho meu preferido.

Enquanto aos poucos vou dando fim ao livro do André Vianco (sim ele até tem uma imaginação fértil) e dou continuidade à história que eu estou criando, consegui mais dois livros: “O Guardião de Memórias” e “Roma” (não tem nada a ver com a série). Primeiro eu quero ainda ler “Água para Elefantes” (que eu não sei por onde anda) e “A Sombra do Vento” (que a mamãe está lendo). Porém enquanto isso não acontece, eu fico estudando o “Império Carolíngio” e “Metodologia do Ensino da História” para a prova da semana que vem.

Na pós graduação estamos nos encaminhando para o final do terceiro módulo com um texto do Rubem Alves, bem gostosinho de ler inclusive. Queria ter um pouco de folga em algum sábado, não ter que acordar cedo demais e poder voltar a sair sexta feira (que eu gosto). Não fui ainda ao cinema para ver “Fim dos Tempos” do Shylaman (O mesmo de O Sexto Sentido) – Eu ando escutando comentários adversos; logo preciso assistir para tirar minhas próprias conclusões. Ainda não decidi se vou ou não assisti à Hulk, mesmo tendo o Edward (^^ - ai ai) Norton como o gigante esmeralda. De alguma forma... Eu decido até domingo.


(Só pra não perder o costume)

Postado por vanessa.sc às 13:48:31
  | Encaminhar Este Post

Parte de uma história maluca que está saindo da minha cabeça... É só o início...Somente para atualizar mesmo.

 

O temor que rondava meu corpo agora nada tinha a ver com o desejo incontrolável que eu sentia em beijá-lo. Havia tempo para isso quando eu soubesse que ele estava a salvo.

Meus olhos analisaram a sala mais uma vez. O número de agentes havia aumentado e o meu medo aumentou junto. Era como se meus piores pesadelos começassem a tomar forma. Dei uma olhada rápida, não havia por onde fugir.

De repente meus olhos se encontraram com os dele. Aqueles olhos que eu tanto amava, cálidos e quentes, me passando tranqüilidade até quando a situação mostrava o contrário, fez meu corpo tremer mais ainda. Eu estudei seu rosto por um momento, ao longe, dentro de toda a sua compostura, eu conseguia avistar uma pontada de medo, mas não medo por ele. Eu via mais uma vez que ao invés de se preocupar com ele, ele estava com medo de que acontecesse alguma coisa comigo.

Tudo então, de repente parou. Eu não sei bem o que aconteceu naquele momento quando os lábios dele encontraram com os meus.

Depois... A agonia do nada que me fez sair do paraíso e conhecer o inferno.

Postado por vanessa.sc às 17:49:16
  | Encaminhar Este Post

»» Enfim, uma atualização ««

Bom, sem Smallville, sem Edward e Bella... Vocês devem saber como eu começo a me sentir, rs. Mas eu prometo tentar sobreviver até agosto (pelo menos) que é quando a Stephenie lançar o quarto livro da série. Ah, andei dando uma olhada (sim, não agüentei) na visão de Edward de “Crepúsculo”. Só lhes falo que foi realmente quando eu notei o quanto ele é completamente, totalmente, inteiramente da Bella... O que ele tem que lutar todos os dias para... Estar ao lado dela... Torna o Edward o “príncipe encantado” dos contos de fadas! (Prá quem ainda acredita).

Estamos em época de congresso (novamente) na UFAM: Ditadura no Brasil40 anos do AI-5. AI – 5, o Ato Institucional número 5 aquele que restringiu direito e deveres do povo brasileiro no governo de Costa e Silva datado de 13 de Dezembro de 1968.

O governo de Costa e Silva foi quando, após a instituição do AI-5, intensificou-se a luta armada (aquela feita por populares que eram contra a ditadura militar imposta desde 1964). Guerrilhas, atentados, seqüestros, todos foram intensificados quando surgiu o AI-5... Bem, foi nele que os brasileiros deixaram de ser brasileiros e passaram a ser marionetes na mão dos militares.

Ainda com o AI-5, assume Médice... A época de Médice no poder foi considerada a pior que o país já teve. Foi quando apareceu uma censura contra todos os meios de comunicação, principalmente aqueles que eram contra o governo. Mortes, torturas e desaparecimentos se intensificaram.

Por mais que eu veja as fotos das pessoas desaparecidas, mortas e torturadas... Eu, ainda vendo as fotos sinto um romantismo estranho em relação a essa conturbada época da História do país. Quer dizer, eu sei que as coisas eram um pouco mais complicadas na época, tanto que, mesmo sabendo que hoje seria impossível haver algo parecido por essas bandas, eu não deixo de pensar no que seria se isso ocorresse novamente. E também mesmo vendo somente as fotos eu sinto meu estômago dar sinal de vida depois de um tempo.

Acho que, pelo fato da História do Brasil ser feita, em sua maior parte, por mentiras deslavadas, ver que um país inteiro se uniu contra um governo imposto mostrou que realmente o brasileiro não é passivo e luta pela sua liberdade, sua pátria... Que realmente o que aparece no Hino “Um filho teu não foge à luta” realmente é correto...

Eu sempre tive um fascínio estranho por épocas conturbadas como as Revoluções: Francesa e Russa; a segunda Guerra Mundial, Ditadura Militar... São épocas conturbadas, mas que afloraram dentro do ser humano o que há de melhor na gente... Não se deixar abater por pessoas que acham que podem fazer tudo contra todos e ainda assim se sair bem...

Postado por vanessa.sc às 12:15:11
  | Encaminhar Este Post

Terminei de ler “Lua Nova” (continuação de Crepúsculo)... Bom, eu ainda estou “digerindo” esse livro, com certeza foi infinitamente melhor que Crepúsculo em alguns aspectos (mesmo lendo uma tradução não tão boa da net) levando em consideração o amadurecimento tanto da autora quanto dos personagens, mas a história foi meio... Estranha. Quer dizer, não estranha, mas um pouco dolorosa demais.

Ed e Bella estão mais ligados que nunca isso dá pra notar, mas a custo de alguns sofrimentos que, a meu ver, foram completamente desnecessários. Enfim, dizem que para amadurecer precisamos passar por traumas parecidos. Interessante foi ver a forma como a Stephenie tratou das várias formas de depressão, tanto em relação à Bella como Ed.

Surge um personagem novo, quer dizer não novo no contexto, mas novo... Jake, melhor amigo da Bella... Bom, podia ser muito mais se o “destino” não estivesse contra essa união. Tanto que em determinado momento do livro ela o compara com Paris (de Romeu e Julieta).

É eu sei, essa mulher fez o que nenhuma JK conseguiu fazer, me fez “baixar” o livro da internet (já que ele ainda não saiu no Brasil) para poder continuar a ler. Eu gosto do bruxinho, mas confesso que saber o que acontece com ele e seu eterno arquiinimigo  Voldemort não foi suficientemente forte para despertar minha curiosidade. Saber o que vai acontecer com o Ed, a Bella e toda a população de Forlks (além, é claro, de descobrir como será o futuro dela...) foi mais forte que minha paciência para esperar o lançamento do livro no Brasil. Eu sou devoradora de livros sim e provavelmente irei comprar os próximos livros da saga “Twilightdiana”, mas não antes de ter lido as histórias primeiro... Fazer o que se eu sou uma eterna romântica incurável? E eu confesso que isso também se deve ao fato de eu ter medo que as continuações não saiam por aqui... Sim, já que Crepúsculo, mesmo tendo vendido mais de 5 milhões de exemplares no mundo inteiro (esse número não é suficientemente grande para um filme, o que me assusta), o livro pode não ter tanta “fama” por aqui pelas bandas de baixo do continente americano.

Eu falei em filme porque já foi filmado (^^) Crepúsculo, nos EUA vai estrear no dia 12.12. Eu vi que por aqui a estréia seria lá pelo dia de natal, mas eu vi em um site que provavelmente será somente em Janeiro/09 (eu não sei se vou conseguir esperar para ver o Ed e a Bella somente em janeiro, mas enfim...). Já tem trailer, que eu acho que já vi umas 30 vezes só ontem...

É eu realmente descobri um vício digno de disputar com “Smallville”.

Postado por vanessa.sc às 11:41:21
  | Encaminhar Este Post

Hoje quando estava indo para a aula de manhã, eu escutei no rádio que aqui em Manaus os promotores estão pensando em fazer greve para melhores condições de trabalho e salários.

Claro né gente, porque vocês sabem, os promotores coitados não têm condições para viver recebendo a porcaria de salários que eles recebem, vocês entendem, não é? Lógico, afinal de contas, nossa justiça pode esperar claro, os promotores voltarem ao trabalho, já que por aqui não há aquele velho problema que a justiça brasileira enfrenta que é o marasmo dos servidores públicos.

Falando sério gente, isso é simplesmente ridículo, onde nós vamos parar? Os caras quase não trabalham e quando trabalham resolvem fazer greve para receber um salário melhor? Porra, promotor, juiz, essas porras deveriam era se orgulhar de receber o salário que recebem...

Mas é aquela velha história, quanto mais tem mais quer... Sinceramente? Esse país não tem mais jeito não.

Postado por vanessa.sc às 15:21:47
  | Encaminhar Este Post

O leão se apaixona pelo cordeiro!

Cordeiro idiota!

Leão masoquista e doentio!

Parte do livro que eu estou lendo agora que se chama “Crepúsculo” e eu estou “devorando” – para quem pegar o livro para ler ou então pesquisar na net, vai entender – o livro de maneira rápida e irracional.

Ele conta uma história de um amor “proibido e perigoso”; o amor de Bella e Edward – que, para mim, só se iguala ao amor da Lizzie e do Darcy de Orgulho e Preconceito, é... Isso aconteceu!

Ela desastrada, tímida, e que passa mal (literalmente) ao ver sangue. Ele “deliciosamente e perigosamente” encantador (de uma maneira teimosa e irritante). Os dois se completam perfeitamente como tempo frio e lareira; um não vive sem o outro.

O mais estranho... E legal também é que ele é narrado em primeira pessoa, eu acho que é o primeiro livro que eu leio dessa forma... E de uma autora americana. O MUNDO sabe que eu sou fã de carteirinha dos autores britânicos e poucos são os americanos que eu me dou ao trabalho de ler, mas Stephenie Meyer ganhou definitivamente uma fã. É incrível a forma como ela desenvolveu o ideal de amor ideal e como isso nos prende. Até quando Edward é frio de uma maneira terrivelmente encantadora para Bella, ele é perfeito e romântico, misterioso e sedutor. E, se não fosse o fato de Bella ser uma “presa” para ele, não teria porque o amor ser proibido.

Ainda assim a forma como a autora descreve as mais diversas emoções que possam tomar conta de um ser humano – ou não – parece que elas estão saindo de dentro de nós. É impossível, simplesmente IMPOSSÍVEL não ficar pensando nesse amor delicioso e perigoso. É impossível não querer saber como as coisas vão acontecer a partir do momento da principal revelação. Parece que estamos vendo dentro das nossas cabeças todas as emoções, olhares, frustrações dos personagens. É impossível não se encantar com a forma desastrada da Bella ou a forma fria de Edward. É impossível não pensar em vê-los juntos no final. É impossível imaginar alguém na vida dos dois fora... Os dois.

Vocês sabem que eu não sou de ficar falando em “spoilers”, e não esperem que eu vá revelar o motivo pelo qual esse amor é tão perigoso assim, vou deixar vocês na curiosidade. Mas eu posso adiantar, é um livro, até certo ponto, infanto-juvenil então, não esperem coisas profundas demais, filosóficas demais, é um amor juvenil (até certo ponto). Eu li que, em tempo de “Relíquias da Morte”, “Crepúsculo” está tomando o lugar vago da obra da JK no coração dos fãs do bruxinho com maestria, mas, apesar disso, o livro não tem nenhuma ligação com os livros do bruxinho.

No início do post, quando eu comentei o nome da obra, eu falei que para quem fosse pesquisar sobre o livro na internet iria entender algumas expressões das quais eu citei agora, mas seria melhor não fazer isso, é muito mais legal descobrir toda a trama por trás do livro sem saber de nada antes. Eu sei que pode surtir o efeito contrário, mas para quem não gosta de HP não irá perder tempo com essa obra. Uma pena, mas enfim... Divirtam-se!

Postado por vanessa.sc às 16:23:10
  | Encaminhar Este Post

"Ayelet Zurer (a esposa de Eric Bana em Munique) e Ewan McGregor já foram confirmados na "continuação" de O Código Da Vinci. Diferente do best-seller de Dan Brown, anterior a Da Vinci, o roteiro de Anjos e Demônios foi alterado para acontecer após os eventos do primeiro filme. McGregor será um poderoso membro do Vaticano que auxilia o criptólogo Robert Langdon (Hanks)."

Quando eu começo a falar que estão conseguindo estragar obras de qualidade com esse lance, ninguém acredita. Gente, sinceramente, NA BOA  Continuação(?) Pelo Amor de Deus...

Fonte: Omelete

Postado por vanessa.sc às 21:50:31
  | Encaminhar Este Post

Há dois dias eu tenho começado a escrever alguma coisa e apagado em determinado momento, espero que agora eu dê continuidade com o que eu estou pensando. São tantas idéias e eu sinceramente não tenho como ou não sei como passá-las ao papel.

Tem umas três semanas, mais ou menos, que os amigos da mamãe têm vindo pra cá pra casa pra fazer a monografia, eu particularmente acho até legal, pois eles fazem companhia pra mamãe, além de serem gente boa. A nossa casa tem até dado sorte pra algum deles, pro Léo (É Bel, ele ficou legal rs) e pra Nataly. Ambos conseguiram boas propostas de emprego enquanto estavam por aqui por casa. “A casa da América dá sorte...” eu escutei um deles falar, não lembro quem neste exato momento.

Quando falaram isso, eu estava lendo uma reportagem sobre uma garota com paralisia cerebral que passou no exame da OAB... É gente, uma pessoa com paralisia cerebral, passou no exame... Legal né? Legal o caralho, porra, uma porra de uma inválida passa nessa merda de exame e eu não. É uma merda mesmo... Ser superada por uma porra de uma mulher que não pode nem ir ao banheiro sozinha... Onde fica o órgão para tirarmos o atestado de incompetência? Sim, porque eu quero ser a primeira da fila.

Mais uma vez tento parecer legal para a mamãe, claro, ela já anda tão estressada com a monografia (que eu sei que não é fácil mesmo) e outras coisas que atestam que a Lei de Murphy é a única lei que funciona pra quê demonstrar pra mamãe que eu ando um lixo por dentro? Sentindo-me a mais incompetente das criaturas da terra? Isso se eu levar em conta que “da terra” é ser boazinha demais comigo, pois cada dia que passa eu me convenço mais que eu não sou deste planeta, só pode; mas isso é outra teoria que eu um dia irei desenvolver.

O legal deles é que eu fico aqui no meu quarto e eles lá na sala, então ninguém incomoda ninguém... Quer dizer, de vez em quando eu vou lá por fora, demonstrar uma sociabilidade que eu sinceramente não sei de onde está vindo, para não parecer a antipática do pedaço. Ok, com eles é até fácil parecer sociável... Eu gosto deles. Estranho eu estar falando disso, abertamente, quero dizer, falar que gosto de alguém... Acho que poucas pessoas escutaram isso de mim abertamente, se eu contar nos dedos de uma mão sobra dedo pra quem quiser alugar. Fazer o quê? Eu sou assim, e como fala o Sergio, eu não sou gente mesmo.

A verdade é que eu estou cansando de lutar contra a maré... Aliás, eu já cansei há muito tempo de fazer isso, e há muito tempo, tenho apenas acompanhado a correnteza... Ando desiludida com minha vida que simplesmente não existe um único campo que vá bem, mas isso é outra história, por mim, eu já estaria em um local bem bucólico, longe da civilização (claro, o pouco que eu exigiria é internet, TV à cabo e uma locadora de vídeo) Sabe um local como a casinha da Iris em “O Amor não tira férias”? Lógico que no meu caso, não haveria de bônus um Graham, óbvio, eu não fui feita para essas coisas, isso me é proibido, mas tudo bem. Já me acostumei com a minha falta de jeito para lidar com esse órgão pulsante dentro de mim chamado coração.

(Suspirando) Toda vez que chega Junho eu fico assim, pra falar a verdade tem piorado a cada ano, pois a cada ano eu me convenço mais que esse lance de amor (e tudo relacionado a ele) me foi negado em algum momento, ou eu mesma, seja lá porque cargas d’água recusei, como certa vez eu li em algum lugar desses exotéricos, rs...

Realmente eu acho que cheguei ao fundo do poço... Alguém tem uma corda por aí?

Postado por vanessa.sc às 19:16:17
  | Encaminhar Este Post

País: Estados Unidos;

Estado: Kansas

Cidade: Smallville.

Há sete anos esse tem sido meu endereço todas as noites de terça feira, algumas vezes eu parei para comentar algum episódio, seja para falar bem, seja para falar mal, seja apenas para falar. Estamos, enfim, no final da sétima temporada, que rezava a lenda, seria a última. Porém fomos “premiados” com uma oitava (Coitado do Tom); que a meu ver será a pior de todas, barrando a quarta.

Episódio “Artic”, não foi ruim, mas também não foi o melhor roteiro já escrito. Mas como é de costume de Smallville, não foi tão profundo deixando os já famosos furos para a temporada seguinte. Isso pra mim, que já há sete anos, faz parte da população dessa pequena cidade, não é assim tão estranho como foi para algumas pessoas que recentemente se mudaram para lá.

O problema não foi o estranho e repentino interesse da Lois para o Clark trabalhar no Daily Planet, ou no (tosco) pedido de casamento do Jimmy pra Chloe e a cara dela pensando em aceitar antes de ser presa, ou então no Lex aparentemente magoado em descobrir a verdade em relação ao Clark (Que eu sinceramente espero que ele venha a esquecer na próxima temporada) e falar “Eu te amava como um irmão” e o episódio acabar por aí, com a fortaleza completamente destruída, fazendo com que a 4° temporada toda se torne em vão.

Pra mim, Clana confessa o que me doeu mais, foi que, mais uma vez a Lana e o Clark não ficaram juntos. O que parecia, enfim um final feliz pro Clark foi o pior de todos. Eu ainda não entendo o motivo de não deixarem eles juntos pelo menos em duas temporadas, fodam-se os que não gostam, a grande maioria aprendeu a se encantar com o casal que há exatos sete anos vem encantando milhões de pessoas em todo mundo. O vídeo que a Lana deixou para o Clark, o fato de ela não ter se despedido dele, o fato dos dois ter sido separado pelo idiota do Brainiac. Eles não se despediram, eles não trocaram um só beijo, separados pelo destino. Isso dói no meu coração. Ver, mais uma vez, o Clark chorando, olhando pra tela da TV vendo os olhinhos da Lana cheios de lágrimas falando que ela precisava ficar longe dele para que ele seguisse o destino dele...

Quando eu disse que eu estou começando a ODIAR essa palavra “Destino” eu não estou brincando. No more Clana, no more Magic.

Postado por vanessa.sc às 16:13:12
  | Encaminhar Este Post

Na Natureza Selvagem

E mais uma vez o cursor do mouse está piscando na tela do Word e eu sem muitas idéias para colocar no “papel”.

Assisti esses dias, ao filme “Na natureza Selvagem” onde um garoto de 22 anos depois da faculdade resolve ir para o Norte... Alaska. O filme foi dirigido por Sean Pean e estrelado por Emile Hirsch conhecido por ter feito o Speed de “Speed Racer” e  Alpha Dog” e “Os reis de Dogtown”. Todos esses filmes são filmes que mostram alguma coisa da natureza humana.

Em “Na natureza selvagem”, Cris fica sem noção do que fazer depois da faculdade, mesmo tendo vindo de uma família estruturada, até certo ponto. Crente que o casamento dos seus pais é uma mentira, ele foge de onde estava morando e parte para o desconhecido. No caminho ele acaba conhecendo pessoas incríveis, com as quais ele faz amizade com facilidade. Inclusive um traficante “gente boa” que tem uma plantação de trigo, interpretado por Vince Vaughn. Estão no filme também Willian Hurt fazendo o pai de Cris e Jena Malone (Orgulho e Preconceito) fazendo a irmã que sempre estava ao lado do Cris.

A história de Cris teve interesse do Sean Pean por ter sido uma história real, Cris realmente estava indo para o Alaska, mas infelizmente não chegou por lá devido a uma série de contratempos. Ele encontrou um ônibus que costumada chamar de “Ônibus Mágico” e um senhor que achando que ele fosse sozinho o convidou para poder adotá-lo. O filme não tem nada de tão grandioso assim, nem efeitos especiais que dominam Hollywood por esses tempos, mas mostra que a determinação pode fazer quando seguimos nossos sonhos.

O roteiro inteligente com diálogos profundos, o filme mostra uma fotografia linda do norte dos EUA. É um bom filme para fazer a gente pensar na vida, em seguir os sonhos pra depois seguir com a vida. Tem um final um pouco triste (de um determinado ponto de vista), mas se levarmos em conta o que esse rapaz viveu? Foi o final mais que previsível e bonito.

Postado por vanessa.sc às 11:40:47
  | Encaminhar Este Post

O Príncipe Cáspian

Quando saiu o primeiro “Crônicas de Nárnia”, muita gente falou que a Disney não tinha competência para fazer um filme de guerra e tudo o mais. Depois que eu li todas as obras de CS Lewis ficou claro que nem as histórias eram sobre guerras, lutas e coisas do gênero.

Fui assistir ontem ao filme e confesso, sai mais encantada que nunca da sala de cinema (Claro que isso não me impede, pelo contrário, de ver novamente) como a Disney “cresceu” juntamente com os personagens. E olha que da primeira história para a segunda se passam apenas um ano.

Peter, Susan, Edmund e Lucy voltam à Nárnia para ajudar o príncipe herdeiro do trono a salvar o reino dos Talmarinos, grandes adversários guerreiros de Nárnia. O reino está nas mãos de Miraz, tio do príncipe e tirano. Em Nárnia, passou-se 1300 anos desde que os irmãos Pervencie libertaram Nárnia da feiticeira branca, e quando eles voltam descobrem que sua querida terra está nas mãos de seus piores inimigos (Para quem leu O Cavalo e seu Menino saberá do que eu estou falando) e que seus queridos amigos já não existem há muito tempo.

A vida para os irmãos está caótica na Inglaterra pós - Guerra; além de ter que se acostumar com sua vida de “crianças normais”. Peter já não aceita essa condição depois de ter sido uma das pessoas mais importantes de Nárnia. Ele e Edmund criam uma cumplicidade nunca vista na primeira história e fica claro que Lucy ainda é o coração dos quatro. Não deixando que os irmãos esqueçam a magia que viveram em Nárnia. Quando eles voltam à Nárnia, chamados por Cáspian, Peter logo se torna arrogante e prepotente sem aceitar a opinião das outras pessoas. Edmund, talvez levado pela culpa de ter ajudado a feiticeira branca, sempre o apóia, essa parte do filme me emocionou (amos os atores estão LINDOS). Lucy pode ser traduzida, como a dona da esperança, e Susan apenas amadureceu e já não se encaixa em Nárnia, apesar de amar estar de volta.

Com o passar do tempo Peter e seus irmãos entendem o seu significado em Nárnia e percebem que eles precisam apenas “Continuar”. Peter e Susan recebem de maneira diferente essa notícia de Aslan, que no início somente Lucy podia vê-lo. E Cáspian, enfim percebe que está pronto para seguir em Nárnia como Rei, substituindo os quatro irmãos nessa aventura. Claro, algumas coisas foram tiradas outras incluídas como um romance “forçado” entre dois personagens, que não havia no livro, mas no contexto completo? Foi uma das melhores adaptações do livro. E olha que as últimas que eu vi simplesmente foram uma merda.

A batalha entre Peter e Miraz foi magnífica e a luta final foi fantástica... Melhor do que eu havia imaginado. O Reepchip (um dos personagens novos) eu só posso repetir o espanto de Lucy “Oh My Gosh, He’s so cute”.

Claro, que irei assistir novamente. Apesar de ter ficado meio... Melancólica ao ver o filme... Mas verei novamente.

Postado por vanessa.sc às 12:58:35
  | Encaminhar Este Post

Humor Atual

Meu Perfil

Links

. Blog do Uol
. Letras de Musica
. Martha Falcão
. Omelete
. Cinema com Rapadura
. Cinemais
. Cinemark
. UFAM


Nome: Vanessa Carvalho

Nascimento: 28 de Janeiro

Signo: Aquário

Cidade: Manaus/Amazonas

Twitter: @Nessasc

Twitter²: @Filmes_Livros

Profissão:

Férias vitalícias. Terminei de escrever um livro chamado "Anos Incríveis" e pelo que parece vai sair mais cedo do que eu pensava, só falta eu deixar de ter preguiça e começar a passar para o computador.




Frase: "Can you put a price on your dreams?"


Gosto:

Eu gosto de estar com as pessoas que gostam de mim, gosto dos meus amigos, são poucos, mas eles são importantes pra mim. Estou apaixonada, muito, e estou muito feliz.Sou desconfiada, ciumenta (apesar de conseguir esconder até que bem isso das pessoas), seletiva nas minhas coisas, não perdoo fácil as pessoas quando me ofendem ou alguém que eu amo, tenho pouca paciência, não posso negar e sou bastante racional, dificilmente me deixo ser levada pelas minhas emoções. Mas sou muito chorona, choro em desenho animado, novela mexicana (FATO), quando estou triste, e também quando estou feliz. Choro em livros (Calafrio foi o último que eu chorei) e adoro escrever.



Odeio:

Injustiça e mentira, acho que essas duas palavras resume bastante como eu sou no cotidiano.




Filme:

Um filme que resume bem meu gosto por tudo na vida é Orgulho e Preconceito... Sim o sarcasmo, pra mim, mostra muito do sentimento não dito entre duas pessoas. Mas eu gosto também de filmes antigos como "Casablanca" e "Bonequinha de Luxo" (Ainda está para nascer alguém como a Audrey linda Hepburn. Gosto de filmes de ação, romance, drama, desenhos. Ainda estou em dúvida em relação às comédias românticas. Acho que elas deixaram o brilhantismo de Meg Ryan e Tom hanks nos anos 80/90, não inovam mais e sempre é aquela mesma coisa chata. Harry e Sally adoro o final do filme. Filmes do momento como a série Harry Potter (Sim, eu gosto), Saga Crepúsculo eu assisto por ter lido os livros, confesso, não espero muita coisa deles, mas são legais, filmes dos anos 80? Clube dos Cinco, Primeiro ano do resto de nossas vidas, Curtindo a vida adoidado, Goonies, Gremlins, e por aí vai...



Música:

Trilhas Sonoras de filmes, eu sou particularmente fã. Mas gosto do "The Fray", do "David Cook" (Ganhador do American idol de 2008), "Bon Jovi" (Always), Ana Carolina, Jota Quest, Skank, Emmerson Nogueira (Todos Mineiros - Adoro o sotaque mineiro), Lulu Santos (Ainda a trilha sonora da minha vida, não tem jeito), e claro, coisas que eu trago ainda da minha adolescência como Backstreet Boys. Músicas dos anos 80, do rock nacional sempre me animam.



Livros Lidos:

Crepúsculo (Saga Completa); Orgulho e Preconceito; As areias do tempo; Saga Millennium, O Clube do Filme, Anjos e Demônios, Calafrio, Feios, A menina que roubava livros, Dançando no ar, Wake.



Livros para Ler:

Fallen, Swoon, Símbolo Perdido, Coração Ferido, A Guardiã da Meia-Noite, Para Sempre, Lua Azul, O legado da Caça-Vampiros, A Princesa e o Gelo, e mais alguns que eu não lembro.



Lendo: Um beijo do destino.








:: Vanessa's Link::





Arquivo

01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/06/2010 a 30/06/2010
01/05/2010 a 31/05/2010
01/04/2010 a 30/04/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/11/2009 a 30/11/2009
01/10/2009 a 31/10/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005

Votação

[Avalie Este Blog]

Indique Este Blog

[Clique Para Indicar]

Visitas

Créditos

[ Layout ]
VICKYS.com.br
VICKYS.com.br

[ Powered by ]

XML/RSS Feed
O que é isto?

Leia este blog no seu celular