Crepúsculo: O guia dos inimigos

Matéria Original: Clark Collis - Tradução: Belle

Vamos supor que você é um homem adulto que de alguma forma evitou ler os últimos 1783 artigos da EW sobre Crepúsculo. Você deve estar pensando,“Hey, esse negócio fez um caminhão de dinheiro, talvez eu devesse assistir.” Não, você não deveria.
Crepúsculo não tem mais a lhe oferecer que uma liquidação na Sephora (Para sua informação: Sephora aparentemente é um bazar de batons ou algo parecido).


Oh, claro, a premissa desse filme de terror é atraente: Uma adolescente gostosa (Kristen Stewart) se muda para uma nova escola na rude regiãonoroeste do pacífico, onde ela descobre que o homem dos seus sonhos (Robert Pattinson) é na verdade… um vampiro! É quase um A Escuridão encontra a Libertação, não é? Totalmente o contrário! Esta adaptação dos livros (para garotas!) de Stephenie Meyer é na verdade o pior episódio já feito de barrados no baile, unindo forças com o segundo pior episódio já feito de barrados no baile.


De fato, e este é o ponto crucial, Crepúsculo não é um filme de terror, é apenas uma desculpa para apresentar os dois protagonistas fazendo caras e bocas um para o outro. Pattinson e seu bando de amigos nerds-góticos, se alimentam apenas do sangue de, oh, animais bonitinhos, o que deve irritar o povo da Sociedade Protetora dos Animais, mas não à produção de um filme horrivel. Esse namorico interminável é tão amendrontador quanto uma edição medíocre do The View (Para sua informação: Aparentemente isso é algum tipo de programa vespertino de bate-papo e entrevistas). Sim, se você levar uma amiga, ela vai segurar e apertar seu joelho repetidamente - o que, depois de tudo, é a principal razão para a existência do gênero de horror. Entretanto, ela fará isso não por medo, mas para alertá-lo de alguns aspectos do total deslumbramento causado por Robert Pattinson. Isso não é uma maneira de se passar uma noite, quando se tem cerveja para se embebedar, times para torcer, ou, até mesmo, tinta fresca para se observar enquanto seca.

(Eu me espoquei de tanto rir com essa "crítica")

Postado por vanessa.sc às 17:20:04
  | Encaminhar Este Post

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... E o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..

E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão...

Fernando Pessoa

 

Beijos Gelados

 

Postado por vanessa.sc às 09:18:54
  | Encaminhar Este Post

Look After You – The Fray

If I don't say this now I will surely break
As I'm leaving the one I want to take
Forgive the urgency but hurry up and wait
My heart has started to separate

Oh, oh, oh
Oh, oh, oh
Be my baby
Oh, oh, oh
I'll look after you

There now, steady love, so few come and don't go
Will you won't you, be the one I always know
When I'm losing my control, the city spins around
You're the only one who knows, you slow it down

Oh, oh, oh
Oh, oh, oh
Be my baby
Oh, oh, oh
I'll look after you

If ever there was a doubt
My love she leans into me
This most assuredly counts
She says most assuredly

Oh, oh, oh
Oh, oh, oh
Be my baby
I'll look after you

It's always have and never hold
You've begun to feel like home
What's mine is yours to leave or take
What's mine is yours to make your own

Oh, oh, oh
Oh, oh, oh
Be my baby

Postado por vanessa.sc às 21:32:41
  | Encaminhar Este Post

A estréia do filme de vampiros “Twilight” (”Crepúsculo”, em português) na última sexta-feira (21) nos Estados Unidos arrecadou mais do que os últimos do Indiana Jones e James Bond, informou o site da revista “Variety”. “Twilight” arrecadou US$ 37 milhões, enquanto “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” e o último do James Bond –”007 - Quantum of Solace”– arrecadaram US$ 25 milhões e US$ 27 milhões, respectivamente.

A expectativa é de que o filme alcance US$ 75 milhões até domingo, US$ 15 milhões acima do que era esperado. Ainda de acordo com a revista, essa arrecadação deve fazer dela a 15ª maior do cinema em todos os tempos.

 

Sim, vocês não estão lendo errado, Crepúsculo lá pelas terras do norte, está com tudo em cima – arrecadar MAIS que 007 que há ANOS têm aparecido nas telonas, não é pra qualquer um. E a Summit já garantiu sua seqüência: Que venha Lua Nova por ai (Preparem os lencinhos meninas, afinal de contas, Lua Nova é o mais triste dos livros). Eu não poderia acordar num domingo de manhã e ver notícia mais feliz que essa. E olha, eu estou precisando mesmo! Enquanto ficamos na dúvida de realmente a Kris é ou não apaixonada pelo Robert, vamos nos preparando para o final do ano que vem com a seqüência.

É isso, mais tarde, quando eu tiver com o texto pronto na minha cabeça, eu venho postar sobre o espetáculo “Os Melhores do Mundo” que houve ontem por aqui.

Agora mais que nunca BEIJOS MAIS QUE GELADOS!

Postado por vanessa.sc às 13:32:03
  | Encaminhar Este Post

Sessão de Cinema!

Para quem realmente é cinéfilo, não existe dia certo para uma sessão de cinema. Bom, ontem eu fui assistir “Quantum of Solace” o novo filme do agente secreto do MI6... Mais conhecido como 007 ou Bond, James Bond.

O filme, visivelmente a continuação de Cassino Royale, está muito aquém da primeira película, tem muito mais ação, isso não se nega, mas em relação ao brilhantismo que houve no primeiro filme, não – Isso prova minha teoria que os primeiros são sempre os melhores (Filmes, claro) – Mas, para quem ainda não assistiu Cassino Royale (caso exista alguém que não esteve morando na terra nos últimos três anos) com certeza vai adorar o filme.

Certo, Dani Craig ainda não encontrou O CHARME do James, mas... Bem digamos que provavelmente, se ele continuar, está no caminho certo. Ele ainda mostrou um 007 humano (apesar de mais frenético e com sérios problemas de insônia), sentimental (Lê-se Romântico), incapaz de perdoar a si mesmo, e completamente traumatizado pelos acontecimentos do Cassino.

O filme começa exatamente de onde o primeiro (Com o Dani) parou, com ele capturando, com uma bala na perna, o tal Mr. White e querendo saber para quem ele trabalha (e com ma sede de vingança forte demais). Depois de descobrir que um membro de sua equipe trabalhava para a mesma organização, James acaba se envolvendo com o crime organizado boliviano e um ditador deposto. Com uma nova Bond Girl (e muito parecida com a Eva Green) ele terá que descobrir o que é a tal organização e o principal para que eles estão se reunindo com um ditador deposto.

O problema que eu vi no filme – quer dizer, um dos problemas, porque sinceramente, uma equipe que resolve ACABAR com um Austin Martin (Edward Cullen lindo ^^) tem vários problemas – foi que, o ápice da equipe foi Cassino Royale. Mas eu gostei muito do filme, e achei brilhante o fato que realmente parecia uma continuação, acho que se colocar em um DVD de alta qualidade os dois filmes, pode muito bem passar apenas como um único.

E claro, é sempre bom ver um belo par de olhos azuis andando, pulando, saltando, brigando e matando pelo amor perdido!

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 12:00:32
  | Encaminhar Este Post

Bom, template novo, já pronta para o natal. E vocês? Primeiramente gostaria muito de pedir desculpas (de novo) por não estar atualizando devidamente o blog! Bom, claro, eu irei falar de dois filmes, como fiz com “Ligações Perigosas” e “Segundas Intenções”, mas ao contrário, agora falarei de filmes mais leves, ambientados no natal (ou com a intenção disso), e que eu simplesmente A.D.O.R.O.

Simplesmente Amor”. Filme gracinha que mostra a vida de algumas pessoas que têm certa ligação entre si. Conta a vida de um escritor que descobre que seu irmão e sua mulher o estavam traindo, de uma dona de casa que descobre que seu marido está tendo um caso com uma colega de trabalho, do seu irmão (Interpretado pelo Hugh Grant), que acabou de ganhar as eleições para o parlamento que se apaixonou pela sua secretária (que mora na mesma rua da colega de trabalho do marido da irmã do primeiro ministro e da família do escritor). O escritor que contrata uma empregada portuguesa e acaba se apaixonando por ela, mas não sabe uma única palavra em português e ela em inglês; então, ele aprende a falar português apenas poder pedi-la em casamento (numa das cenas mais lidas do filme). No trabalho do marido da dona de casa (Ambos interpretados brilhantemente por um Allan Rickman – sem cabelo preto escorrido – e uma Emma Thompson lindos) tem uma moça apaixonada por seu colega brasileiro (Rodrigo Santoro mais lindo que nunca), mas com um irmão doente no hospital fazendo-a com quem ela perca toda sua vida social, conhece um viúvo às voltas com seu enteado pré-adolescente, apaixonado por uma colega de colégio que aparentemente não gosta dele – E de ninguém. Que conhece um diretor de cinema com um casal de dubles de filme pornô que se apaixona durante os ensaios do filme. No estúdio de cinema, existem ainda dois auxiliares de cena, que um deles cansados de viverem levando um fora das inglesas, um dele vai aos estados unidos para se dar bem. O Escritor (Interpretado pelo MARAVILHOSO Collin Firth) é amigo de um jovem casal que acabou de se casar (Ela interpretada por uma pouco conhecida Keira Knightly) que o melhor amigo dele é apaixonado por ela e na noite de natal se declara pra ela. Tudo isso com a música “Christimas is all around” ao fundo de um cantor já em final de carreira que tem o seu empresário como melhor amigo e companheiro para todas as horas. Enfim, um elenco de estrelas, lindo, singelo e engraçado em alguns momentos. Palmas para a declaração de amor e o Collin falando em português.

The Holiday (O Amor não tira férias): é aquele tipo de filme apaixonante, literalmente. Uma comédia romântica, ambientada no natal de quatro pessoas em busca do amor. O filme conta a historia de duas mulheres Iris e Amanda (britânica e americana respectivamente) que trocam de casa, vida, continente, país e tudo o mais na época do natal. Iris fugindo de um relacionamento em que somente ela amava e ele a apenas usava quando estava sozinho, fazendo-a de step total. Amanda tentando esquecer seu último relacionamento frustrado. Em cidades diferentes, Amanda conhece o irmão de Iris Grahan (Jude Law simplesmente MARAVILHOSO) e acaba se apaixonando por ele, que ficou viúvo a dois anos e tem duas pequenas lindas princesas para cuidar e tem medo que qualquer mudança estrague o relacionamento deles. Em Los Angeles, Iris conhece Arthur, um roteirista aposentado que viveu sua vida inteira dedicados ao cinema (pra mim o melhor personagem do filme inteiro) que está para receber uma homenagem de um dos sindicatos dos roteiristas. Ao tentar ajudá-lo, Iris conhece Miles, um compositor de trilhas sonoras (Simplesmente ele conhece TODAS as trilhas sonoras de TODOS os filmes possíveis) e os dois acabam se apaixonando (acreditem, até ele nesse filme está sedutor). O filme não mostra o natal como personagem principal, mas ele é um coadjuvante maravilhoso num filme onde o amor faz todo o resto. São relacionamentos bonitos, intensos e mágicos, como a época exige e que nos faz acreditar que a magia do natal existe e nos lugares mais improváveis é que ele aparece. Os dois valem muito a pena. As trilhas sonoras são maravilhosas, a fotografia linda (Tendo LA e Londres e Surrey como locações não dá pra ser diferente). Bom é isso, para quem ainda não viu, assista... Tenho certeza que pelo menos mais leve você ficara e com vontade de sair para namorar um pouco! O filme conta com as interpretações de Kate Winslet e Cameron Diaz.

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 09:33:45
  | Encaminhar Este Post

Carta de adeus a uma paixão!

Durante 07 longos anos, as pessoas que visitavam meu blog leram posts e mais posts em relação à smallville (meu mais antigo caso de amor – como eu costumo falar). E durante esse tempo, vocês me viram gritar, chorar, brigar com tudo e todos (principalmente todos) que se atrevessem a falar que um fio de cabelo das meninas estava fora do lugar. Eu sou assim, fazer o quê? Bom...

Eu vou contar para vocês o motivo disso tudo. No final da temporada passada, eu vi a minha morte... Quer dizer, não sendo tão dramática assim, mas eu vi o final da série. Sim, porque no final da temporada passada a Lana ‘linda’ Lang se despediu do Clark da maneira mais dolorosa possível – através de um vídeo. Sim, eu a entendo (aliás, como sempre eu a entendi) de achar que se afastando dele, ele “seguiria seu destino”... Sinceramente, ela não atrapalhava o Clark nisso... Enfim, a verdade é que...

Vocês lembram quando eu há anos atrás falei de outra série? “Anos Incríveis” Que eu falei o quanto eu chorei quando ela terminou? Afinal de contas, foi a minha adolescência toda? Que as coisas que o Kevin estava passando eu estava passando parecido? E que demorou ANOS para que eu me apegasse novamente a uma série? Que foi Smallville que fez com que eu toda semana, ficasse na frente da TV para saber o que aconteceria? Parece que minhas melhores séries duram 06/07 anos.

Quando “Anos Incríveis” terminou, eu passei um bom tempo assistindo a coisas sem me prender muito. Não era forte o suficiente para que eu realmente conseguisse sentir as mesmas emoções que os personagens sentiam. Então chega Smallville. Claro, eu comecei a assistir apenas porque não tinha coisa melhor para assistir. E confesso que durante a primeira temporada eu não fui constante. Perdi alguns capítulos, esquecia de assistir. E quando assistia ficava pensando porque o Clark não dava uma chance pra Chloe, já que a Lana naquela época estava namorando o Whitney.

Mas foi quando eu vi que a Lana era completamente, enlouquecidamente apaixonada pelo Clark que eu realmente fui prestar mais atenção para a série. Lana, a garota da casa ao lado, com seu jeito meigo, romântico, carinhoso conquistou meu coração. Naquele tempo nem pensava na possibilidade de lembrar Lois Lane. Sim, eu sei que é o futuro do Superman. Mas naquela época, ainda não havia Superman. Naquela época, eu torcia ferozmente para que a história dele pudesse ser mudada para que ele e Lex Luthor pudessem realmente ser verdadeiros amigos.

Mas é impossível mudar... Mais de 80 anos de história, certo? Eu adorava assistir o quanto o Lex realmente se doava na amizade deles dois. O quanto ele estava disposto a tudo para poder ajudar o Clark. Sim, eu sei que sempre havia a intenção de descobrir quem era “Clark Kent”, mas houve um tempo em que ele realmente tentou fazer com que a amizade desse certo (acho que o único responsável por Lex Luthor SER Lex Luthor foi o próprio Clark quando este não confiou o suficiente nele).

Ah... O que eu sei é que agora não existe mais razão, pelo menos pra mim, para assistir Smallville. Nem mesmo Tom Welling.

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 09:33:31
  | Encaminhar Este Post

Sessão de Cinema!

Não é porque eu não fui ao cinema hoje (Sério, até 007 não me chamou a atenção para o fim de semana de estréia) que eu não irei falar de um filme, afinal de contas, acho que é a coisa que eu mais faço na minha vida, alem claro, de estar começando a realmente gostar das coisas que eu faço no CS2.

O filme de hoje chama-se “O Som do Coração”, por pura coincidência, foi tema de um dos Rapaduracast, que eles falaram dos filmes que nós mais choramos, bom, a lista que eles colocaram lá... Digamos que faltam alguns que me fizeram (e fazem) realmente chorar. Augusto Rush foi um deles.

Gente, que filme lindo! Sério mesmo. Tem uma história comovente, singela, romântica até. Conta a história de um casal que se conhece numa noite e simplesmente passam 10 anos esperando um ao outro. Mas o diferencial desse filme é que nessa única noite, ela ficou grávida, e graças ao pai dela (claro sempre isso) ela não fica nem com o seu grande amor, muito menos com seu filho. Eles seguem suas vidas separados. Ela uma renovada violoncelista (está certa essa palavra?) de Nova York formada em Julliard (simplesmente a melhor faculdade de artes do mundo) e ele como um alto executivo que abandonou seu sonho de se tornar músico para seguir em frente com sua vida.

Nessas reviravoltas que a vida dá em cinema (sim, porque na vida real essas coisas não existem) o destino resolve unir essas três almas perdidas. Três? Sim, o filho deles, agora com 10 anos, foge do orfanato em que vivia para poder encontrar seus pais. Como ele irá fazer isso? Através da música, pois o mesmo acredita que será a música que o fará encontrar seus pais. Ele é daquelas crianças APAIXONANTES, que não dá para não gostar.

Ele encontra “Wizard” um mendigo que usa crianças para poder ganhar dinheiro (Eu me lembrei de Oliver Twist) e acaba trabalhando para ele. É aí que a sorte bate à porta dele. Graças a outro menino, August conhece um pastor que encantado por seu talento, o leva para uma professora de Julliard e logo ele começa a ter aulas na faculdade de música. Em pouco tempo, August escreve uma rapsódia que é escolhida para ser tocada pela filarmônica em pleno Central Park. August vê sua oportunidade de ouro de tocar para milhares de pessoas (sinceramente eu juro que isso me traria PÂNICO) e assim encontrar seus pais.

Parece um filme tolo, e pode até ser para algumas pessoas, mas eu juro que nunca tinha visto um filme assim tão bom durante muito tempo. O filme conta com a BRILHANTE participação do meu queridinho Robin Williams (Digam, qualquer papel que ele faça é brilhante), Terrence Howard (que eu ADORO), Jonathan Rhys Meyers (Ou Vossa Majestade Henrique VII de The Thudors), Keri Russel (Ou então a garotinha de Felicity – não tão garotinha mais) e do fofíssimo Freddie Highmore (A Voz do Pantamilion de “A Bússola de Ouro” ou então do filho da Kate Winslet em “Em busca da Terra do Nunca) como August Rush.

Em um filme que se fala de música é claro que ela seria uma personagem à parte. E foi, cada música que apareceu lá, cada nota, cada acorde fez com que o filme se tornasse mais emocionante e singelo. E é devido a isso que eu sinceramente comecei a chorar. De ver quanto amor tem no coração dos três personagens principais ainda. Quando a personagem da Keri fala que passou mais de 10 anos calma, quando ela descobre toda a verdade, nossa, é de partir o coração. Ou então quando o personagem do Jonathan aparece tocando a música que ele compôs para ela...

Mas, o que realmente faz a diferença são os sentimentos envolvidos na rapsódia do August. Ali, ele colocou todos os sentimentos guardados por tanto tempo dentro daquele coração. E o Freddie mesmo com tanta pouca idade (se eu não me engano ele tem apenas 13, 14 anos) consegue emocionar até o mais duro dos corações. Confesso, fazia MUITO tempo que um filme não me emocionava tanto assim. O último? “Amor além da vida”.

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 23:06:59
  | Encaminhar Este Post

Who Wants To Live Forever - Queen

 

There's no time for us
There's no place for us
What is this thing that builds our dreams
yet slips away from us

Who wants to live forever?
Who wants to live forever?
Ohhh...

There's no chance for us
It's all decided for us
This world has only one sweet moment
set aside for us

Who wants to live forever?
Who wants to live forever?
Ohhh...
Who dares to love forever?
Oh oh
When love must die?

Then touch my tears with your lips
Touch my world with your fingertips
And we can live forever
And we can love forever
Forever is our today
Who wants to live forever?
Who wants to live forever?
Forever is our today

Who waits forever anyway?

Er... Essa música não lembra uma certa história de um certo vampiro que tem uma certa “quedinha” por uma humana?

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 20:11:35
  | Encaminhar Este Post

Ontem começou Smallville aqui no Brasil! E... Simplesmente começou. Claro, eu assisti!

É vocês devem estar achando super estranho eu estar falando assim, sem emoção de SMALLVILLE, quer dizer, para quem sempre visitou meu blog sabe o quando a série significa, ou melhor, significava pra mim! Eis a minha impressão desse início de temporada.

No final da temporada passada vimos que a Fortaleza da Solidão foi completamente destruída e que tanto o Clark quanto o Lex acabaram desaparecidos. E, como sempre o início foi justamente a seqüência desse acontecimento, com equipe de buscas atrás do Lex e do Clark. A equipe de busca do Clark foi feita pela Canário Negro (que eu não lembro do episódio que ela apareceu), do AC (vulgo Aquaman) e do Oliver “lindo” Queen. Chloe começou o episódio sabendo que tem um super cérebro (bom isso nós já sabíamos) e que estava presa em um depósito qualquer da Luthorcorp. Certo... Parece fantástico o episódio.

Não foi, quer dizer, nem tecnicamente (Se o Luiz ler isso vai pensar que não sou eu rs). Primeiro: como foi que o Oliver soube do desaparecimento do Clark? Segundo: como foi que o Clark foi parar na Rússia? Terceiro: como a Lois descobriu o local que a Chloe estava presa? Quarto: como foi que o Oliver descobriu que o Clark estava na Rússia? Sabem coisas assim que eu NUNCA fiquei pensando antes comecei a prestar atenção. E sabem o que isso significa? Que sinceramente eu perdi o encanto.

Mas o que realmente me incomodou foi a NÃO presença da Lana... Eu sinceramente achava que ela não fosse fazer tanta falta e que... Sei lá! O que me doeu mais foi não ver mais o nome da Kristen nos créditos iniciais. Poxa foram setes anos vendo o rostinho meigo dela vindo depois do Clark e em seguida da Allison. Não que eu não goste da Allison, pelo contrário, eu adoro, mas... Mas... Aquele lugar é cativo da Kristen. Eles deveriam ter feito algum esquema para respeitar isso! Outra coisa... Bom, a Allison vindo em segundo lugar, provavelmente a Chloe terá um espaço maior na série! Não que ela não tivesse, já que desde a quinta temporada ela vem crescendo cada vez mais. Mas não é a mesma coisa. Pior de tudo foi NÃO ver o Michael. Eu não sabia o quanto ele faria falta. Nossa, ele realmente está fazendo falta. O Lex é o tipo de vilão manipulador que dá gosto de ver! E sem ele Smallville não é a mesma coisa!

Uma droga, simplesmente uma droga total!

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 09:45:56
  | Encaminhar Este Post

Bom, digamos que depois de um longo e tenebroso inverno, eu estou de volta! Sim, meu notebook ficou com alguns hóspedes inconvenientes e isso me fez ficar algum tempo sem atualizar o blog, bom, não posso reclamar, pois também não aconteceu nada de tão interessante assim para merecer um post... Até agora!

PS: Ah gente, caso eu me torne repetitiva em relação às assinaturas, por favor, não me joguem na fogueira, pois eu ainda não instalei o CS³ novamente... Eu ainda estou me re-acostumando com meu querido filhinho.  

Enquanto isso eu terminei dois livros e adiantei um terceiro. Terminei, enfim, a série “A Mediadora” da Meg Cabot, (re) li, “Lua Nova” da Stephenie Meyer – Claro o que não podia ser diferente, certo?

Quanto aos filmes? Sinceramente não tem nenhum que esteja passando que tenha me chamado muito a atenção. Pensei em assistir “Noites de Tormenta”, mas, sinceramente, eu acabei descobrindo do o Richard Gere NÃO é meu ator predileto. Encontrei, enfim, “A Cor Púrpura” com a Whoopi, “Hamlet” com o Mel Gibson e “A Última Legião” com o Colin Firth.

É engraçada essa coisa toda de ficar sem computador. Fico imaginando como é que uma pessoa pode NÃO gostar dessas coisas. Notei que não é pelo fato de eu não ter entrado para verificar meu Orkut (que sinceramente ultimamente eu só tenho usado apenas para receber e enviar recados), não foi pelo MSN (quer dizer, sim, pois tive saudades de alguns amigos que moram longe), mas, foi mais pela minha mania de ver notícias de “Crepúsculo” (Velhos hábitos são difíceis de quebrar – A Bel entenderá), assim como vídeos – PARAMORE – DECODE... Simplesmente demais, por ficar atualizando meu iPod (que por sinal passei a manhã toda atualizando o iTunes – de novo) e pelo meu blog. Sério, tantas coisas se passaram por essa minha cabeça preocupada durante esse tempo que eu fiquei longe, tanta coisa se passou e eu sem conseguir escrever uma linha sequer, até o início do capítulo 4 do meu livro ficou prejudicada. Tive que reescrevê-lo novamente! E ainda estou no início.

É horrível você ter milhões de palavras na cabeça, ter um vocabulário inteiro de ilusões para colocar no papel e simplesmente ficar olhando para a folha em branco e não sair nada. Isso é a morte para um escritor, de verdade. Agora mesmo eu estou lutando para conseguir organizar meus pensamentos de maneira coerente e está sendo completamente complicado. Eu gostaria, sinceramente, de entender porque isso às vezes acontece. Certo, provavelmente eu não fui a primeira, nem muito menos a última, mas a sensação de NÃO fazer nada é horrível. A Steph encontrou uma saída que foi escutando as musicas da Banda MUSE. Eu ainda não consegui encontrar as músicas certas para isso. Dois posts atrás, eu fiz um conto depois de ter escutado a música “Look After You”, mas não dá ficar escutando uma única música para escrever todos os posts... Mas eu ainda vou encontrar uma “trilha sonora” para encontrar minha criatividade.

Bom, eu acho que por enquanto é isso! Vim apenas para alguns esclarecimentos. Ah... Quando e SE eu aprender a postar vídeo nessa porcaria de ‘zip.net’ eu prometo sinceramente postar o vídeo do clipe de ‘Decode

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 13:52:09
  | Encaminhar Este Post

Humor Atual

Meu Perfil

Links

. Blog do Uol
. Letras de Musica
. Martha Falcão
. Omelete
. Cinema com Rapadura
. Cinemais
. Cinemark
. UFAM


Nome: Vanessa Carvalho

Nascimento: 28 de Janeiro

Signo: Aquário

Cidade: Manaus/Amazonas

Twitter: @Nessasc

Twitter²: @Filmes_Livros

Profissão:

Férias vitalícias. Terminei de escrever um livro chamado "Anos Incríveis" e pelo que parece vai sair mais cedo do que eu pensava, só falta eu deixar de ter preguiça e começar a passar para o computador.




Frase: "Can you put a price on your dreams?"


Gosto:

Eu gosto de estar com as pessoas que gostam de mim, gosto dos meus amigos, são poucos, mas eles são importantes pra mim. Estou apaixonada, muito, e estou muito feliz.Sou desconfiada, ciumenta (apesar de conseguir esconder até que bem isso das pessoas), seletiva nas minhas coisas, não perdoo fácil as pessoas quando me ofendem ou alguém que eu amo, tenho pouca paciência, não posso negar e sou bastante racional, dificilmente me deixo ser levada pelas minhas emoções. Mas sou muito chorona, choro em desenho animado, novela mexicana (FATO), quando estou triste, e também quando estou feliz. Choro em livros (Calafrio foi o último que eu chorei) e adoro escrever.



Odeio:

Injustiça e mentira, acho que essas duas palavras resume bastante como eu sou no cotidiano.




Filme:

Um filme que resume bem meu gosto por tudo na vida é Orgulho e Preconceito... Sim o sarcasmo, pra mim, mostra muito do sentimento não dito entre duas pessoas. Mas eu gosto também de filmes antigos como "Casablanca" e "Bonequinha de Luxo" (Ainda está para nascer alguém como a Audrey linda Hepburn. Gosto de filmes de ação, romance, drama, desenhos. Ainda estou em dúvida em relação às comédias românticas. Acho que elas deixaram o brilhantismo de Meg Ryan e Tom hanks nos anos 80/90, não inovam mais e sempre é aquela mesma coisa chata. Harry e Sally adoro o final do filme. Filmes do momento como a série Harry Potter (Sim, eu gosto), Saga Crepúsculo eu assisto por ter lido os livros, confesso, não espero muita coisa deles, mas são legais, filmes dos anos 80? Clube dos Cinco, Primeiro ano do resto de nossas vidas, Curtindo a vida adoidado, Goonies, Gremlins, e por aí vai...



Música:

Trilhas Sonoras de filmes, eu sou particularmente fã. Mas gosto do "The Fray", do "David Cook" (Ganhador do American idol de 2008), "Bon Jovi" (Always), Ana Carolina, Jota Quest, Skank, Emmerson Nogueira (Todos Mineiros - Adoro o sotaque mineiro), Lulu Santos (Ainda a trilha sonora da minha vida, não tem jeito), e claro, coisas que eu trago ainda da minha adolescência como Backstreet Boys. Músicas dos anos 80, do rock nacional sempre me animam.



Livros Lidos:

Crepúsculo (Saga Completa); Orgulho e Preconceito; As areias do tempo; Saga Millennium, O Clube do Filme, Anjos e Demônios, Calafrio, Feios, A menina que roubava livros, Dançando no ar, Wake.



Livros para Ler:

Fallen, Swoon, Símbolo Perdido, Coração Ferido, A Guardiã da Meia-Noite, Para Sempre, Lua Azul, O legado da Caça-Vampiros, A Princesa e o Gelo, e mais alguns que eu não lembro.



Lendo: Um beijo do destino.








:: Vanessa's Link::





Arquivo

01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/06/2010 a 30/06/2010
01/05/2010 a 31/05/2010
01/04/2010 a 30/04/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/11/2009 a 30/11/2009
01/10/2009 a 31/10/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005

Votação

[Avalie Este Blog]

Indique Este Blog

[Clique Para Indicar]

Visitas

Créditos

[ Layout ]
VICKYS.com.br
VICKYS.com.br

[ Powered by ]

XML/RSS Feed
O que é isto?

Leia este blog no seu celular