525.600 minutos: são exatos um ano! Espero que todos possam medir suas vidas com amor, saúde, paz, alegrias. Que possam contar cada minuto do ano novo pelos olhos dos amigos que encontrarão, dos amores que viverão, das saudades que sentirão!

Beijos Gelados.

 

Postado por vanessa.sc às 17:00:54
  | Encaminhar Este Post

De acordo com informações da imprensa da Pensilvânia, um homem está sendo acusado de ter atirado em uma pessoa que estava se portando mal e falando alto durante uma sessão do filme "O Curioso Caso de Benjamin Button", estrelado por Brad Pitt ("O Assassinato de Jesse James"), na Filadélfia.

O homem pediu à família que estava sentada à sua frente que fizesse silêncio. Começou, então, uma confusão envolvendo outras pessoas. O acusado teria jogado pipoca no filho da vítima. Depois, ele teria se aproximado da família e atirado no pai, um homem de 31 anos cuja identidade não foi revelada. A vítima foi socorrida no Hospital Jefferson, com um ferimento no braço.

O autor do disparo, identificado apenas como Cialella, foi preso ainda dentro do cinema e está sob custódia. Ele ainda não possui o advogado para sua defesa, e agência de notícias Associated Press não conseguiu fazer contato com ele para saber sua versão.

 Fonte: Cinema Com Rapadura.

 PS: Depois tem gente que reclama comigo quando eu peço para ficarem calados! Tá vendo? É ruim falar durante uma sessão de cinema! hueheuheuhe

Postado por vanessa.sc às 10:59:39
  | Encaminhar Este Post

 Estava no carro escutando algumas músicas que eu havia ganhado de uma amiga e estava pensando nela. Impossível não pensar nela escutando músicas como essas. Ela passou a fazer parte do meu pensamento vinte e quatro horas por dia e eu nem sabia direito o porquê.

O fato era que eu agora estava pensando nela, e no motivo para que ela tenha sumido, a verdade era que eu estava morrendo de saudades dela e não sabia como encontrá-la. Ela falou que iria sumir mesmo por um tempo, naquela época éramos amigos, os melhores (só não sabia que dentro de mim ela era mais especial que eu imaginava). Eu ligava no celular, na casa, e sempre a mesma resposta - nenhuma. Já estava ficando desesperado sem notícias dela. E isso porque havia se passado apenas três semanas. Mas ela prometera para mim que logo faria contato.

O problema era que ela agora estava morando em outra cidade, se ela ainda estivesse por aqui, eu provavelmente não a deixaria assim tão em paz. Paz... Era o que eu não estava tendo desde que ela sumiu. Estava estudando para alguma prova importante e isso seria durante algum tempo. Deus, como isso me angustiava. Somente alguns e-mails falando sobre as aulas do tipo: BOA, RUIM, PÉSSIMA. Como eu a conhecia bem, ela estava completamente entediada e todas as vezes que eu pensava isso começava a rir. Mas, será que ela pensava em mim também? A música agora era Linkin Park (Justamente aquela que nós não cansávamos de escutar) e isso me fez lagrimar. Eu precisava fazer alguma coisa e seria logo. Eu tinha o endereço dela, e tinha dinheiro guardado. Se demorasse mais dois dias sem conseguir escutar a voz dela novamente eu iria até lá tentar encontrá-la. Ficaria plantado na frente da porta do apartamento dela, se preciso, mas pelo menos saberia se ao mesmo ela está bem.

Estar conseguindo suportar a ausência dela falando todos os dias com ela é uma coisa, mas esse sumiço estava me deixando maluco. É engraçado o que acontecia comigo quando eu pensava nela, praticamente toda vez, eu ligava o piloto automático. Já estava chegando perto da minha casa e havia esquecido de comprar as encomendas da minha mãe. Ai meu Deus, já estava imaginando os gritos da minha mãe. Que eu não faço nada para ela, que ela vive sozinha naquele apartamento...

Dei meia volta e parei na primeira loja de conveniência que eu encontrei e comecei a fazer as compras. Mas a visão dela vindo em minha direção nunca me abandonava. Eu estava pensando nela hoje mais do que nos outros dias, esperava, sinceramente, que isso não quisesse falar que havia acontecido algo de ruim com ela.

Comprei tudo o que tinha pra comprar com alguma sorte e voltei para casa. Começou outra música que era a cara dela, Look after you (a última música que escutamos juntos), nessa hora tudo o que havíamos vivido voltou à minha cabeça. Foi justamente na hora em que estava estacionando o carro e entrando no elevador para o meu andar. Alguém dentro dele estava usando o perfume dela - uma colônia que já era ELA. Era estranho sentir aquele cheiro em outra pessoa. Quando a porta abriu e fui me encaminhando para a porta do meu apartamento, eu vi uma pessoa parada sorrindo.

Eu parei. Não sabia o que eu iria fazer. Meu coração disparado me falava para correr até ela, colocá-la nos meus braços e dar o beijo que eu estou esperando por tanto tempo, mas por outro lado, eu a conhecia, ela fugia de qualquer tentativa de relacionamento, e o máximo que eu havia conseguido era ser o confidente dela... Mas ao contrário do que parecia ela ficou me olhando de uma maneira que eu não sabia identificar.

Lentamente fui me aproximando dela, e a cada passo que eu dava, meu coração mais disparado ficava. Ela... Com o sorriso lindo que iluminava meu dia.

- O... O que você está fazendo aqui? - Perguntei com uma péssima tentativa de demonstrar naturalidade.

- Você lembra que eu falei que iria sumir por uns tempos? Então, sumi.

- Mas, você está aqui, na minha porta! - Falei surpreso chegando perto dela. Ela era bem mais baixa que eu e precisou levantar um pouco a cabeça para olhar para meu rosto. Ela olhou dentro dos meus olhos e aquilo me intimidou e ao mesmo tempo me deu forças.

- Eu... Não falei que iria sumir DE VOCÊ... Apenas falei que iria sumir. Resolvi apenas os últimos detalhes e voltei. Essa cidade... Ela me deslumbra de uma maneira que eu ainda não entendo.

- Eu sim...!

Acordei no dia seguinte com um sorriso largo nos lábios olhando para a pessoa que estava ao meu lado dormindo. Aquele foi o melhor dia da minha vida. Foi depois da chuva, depois que eu toquei no rosto dela e depois que eu a beijei que eu percebi o quanto eu a amava.

 Beijos Gelados

 

Postado por vanessa.sc às 19:44:05
  | Encaminhar Este Post

Eu sei que isso parece coisa de preguiçoso, e não duvido que seja mesmo, afinal de contas, não tenho postado desde o dia 24.12. Bom, mas eu sei mais ou menos o que postar das próximas vezes, o problema é que primeiro eu tenho que fazer uma história (Que eu estou devendo para o Jr - se é que isso é possível rs) e outro post sobre o "cast" brasileiro de Twilight (que eu estou fazendo com a Aline - Que a Globo/SBT/Record não nos ouça). Bom, por enquanto estou postando apenas um video (De uma música que não sai da minha cabeça - Né JR?) do Linkin Park - Leave this out the rest.

Beijos Gelados!


(PS: A imagem foi o Jeff quem me deu de presente ^^)

Postado por vanessa.sc às 12:26:02
  | Encaminhar Este Post

Quero que todos que visitam meu blog tenham um ótimo natal, cheio de paz, saúde, alegrias, amor, felicidades... E que o espírito natalino chegue na casa de cada um com o que vocês mais desejam! Saibam que eu adoro cara um de vocês (MESMO QUASE NINGUÉM COMENTANDO, hehe)

 

Postado por vanessa.sc às 11:12:05
  | Encaminhar Este Post

 

"Muito barulho por nada. É isso o que se pode ser dito sobre a adaptação para o cinema do fenômeno literário "Crepúsculo". Enquanto garotas de todas as idades suspiram pelo vampiro-galã Edward, ao se remover o fanatismo em relação à franquia o que sobra é um filme fraco e cansativo, que mais parece uma mistura das novelas globais "Vamp" e "Malhação", com uma pitada de "Smallville". Admito logo duas coisas: sou homem e não li nem uma página da obra que originou a película, o livro homônimo escrito por Stephenie Meyer, algo que me coloca em uma posição incrivelmente neutra em relação ao frenesi provocado pela saga do amor proibido entre um vampiro e uma humana adolescente.

Na fita, temos a jovem Bella Swan (Kristen Stewart), uma estudante do colegial que se muda de um estado ensolarado, onde morava com a mãe, para a casa do pai que não vê há muito tempo, que fica em uma cidadezinha próxima à Washington, um município frio e sempre recoberto de nuvens. Chegando ao colégio local, ela acaba tendo uma atração à primeira vista por um jovem pálido chamado Edward Cullen (Robert Pattinson), filho do médico local e que sempre anda na companhia de seus irmãos adotivos.

A despeito de uma inesperada fuga do rapaz em relação a ela, é óbvio que os dois estão irresistivelmente atraídos. Certo dia, ele demonstra uma velocidade e uma força super-humanas para Bella ao salvá-la de um carro desgovernado. Intrigada com o incidente, ela começa a investigar e descobre que Edward, seus irmãos adotivos e pais são vampiros, mas "vegetarianos", se alimentando apenas de sangue de animais.

Com este romance "proibido" sendo o mote da série, já sabemos que não se trata da mais original das obras, vide o casal Angel e Buffy do seriado "Buffy - A Caça-Vampiros". Tudo bem, o plot não precisa ser original para dar origem a uma boa história. Mas, espere, temos uma rivalidade entre vampiros e lobisomens também. Hum, isso me cheira a "Anjos da Noite", mas vamos em frente. Na relação entre o casal principal, um deles tem o dom de ler as mentes alheias, menos a do seu par... alguém aí falou "True Blood"?

Ah, o rapaz super-poderoso tem receio em desvirginar sua namorada humana, acho que algo parecido aconteceu com Clark Kent na quinta temporada de "Smallville". Para completar, os Cullen mais parecem uma versão yuppie da família Weasley da saga "Harry Potter", contando até com uma versão vampiresca do quadribol! Ou seja, aparentemente quase todos os traços de tramas existentes em "Crepúsculo" já foram mostrados em outras histórias e de maneiras mais interessantes.

Para Ler a Crítica completa (Se você conseguir), CLIQUE AQUI.

Fato: Homens não deveriam assistir a um filme "adolescentes para garotas".

Fato²: Pessoas que NÃO leram a uma obra literária, JAMAIS devem fazer críticas ao filme. Não estou falando aqui que o filme é A obra prima, mas vou rebater alguns pontos da crítica do Sr. Thiago Siqueira do Portal Cinema com Rapadura. Essa crítica que ele fez (Que, diga-se de passagem, não está completa) simplesmente apenas retrata uma raiva de uma pessoa que não conhece a obra literária e se arrependeu profundamente de ter ido ao cinema apenas porque estavam falando muito sobre o filme!

Primeiramente: as comparações (mais uma das muitas que existem) são completamente infundadas. Primeiro, porque o filme retrata o que ESTÁ no livro e a Stephenie Meyer NÃO conhece Buffy - partindo do princípio que ela NUNCA leu NADA sobre vampiros, e isso se equivale para True Bloody. Segundo, MAIS UMA VEZ as comparações IDIOTAS com o mundo de Harry Potter, sinceramente, isso está me deixando profundamente COM ÓDIO mortal do bruxinho (Agora, qualquer história de fantasia que tenha... magia ou coisas que aparecem em Harry Potter, precisam ser necessariamente cópia? Está proibido as pessoas gostarem apenas de retratar algum jogo? Cuidado filmes.... NÃO coloquem mais nenhum tipo de jogo nas telas,... Será Plágio de Harry Potter)... E SIM, Vampiros e Lobisomens PRECISAM sempre aparecer... Quer dizer então que Van Helsing É cópia de Anjos da Noite? Afinal de contas, o fato de que, na mitologia gótica, vampiros e lobisomens SÃO inimigos mortais não conta nada, certo?!

Vejam, não estou aqui falando que o filme seja A OBRA PRIMA, sim existem erros até meio imperdoáveis, mas essas coisas que eu rebati deveriam ser muito melhores comentadas e não apenas "cuspidas" como está parecendo que foram. Comparações NUNCA são legais de fazer, ainda mais quando estamos com raiva, como foi o caso do crítico (Que, vou deixar bem claro, é a primeira crítica dele que eu estou desaprovando).

Quanto ao Peter, ele apenas deu vida a um personagem que É a forma como ele apareceu NOS LIVROS. Kristen não tentou dar uma tridimensionalidade, a personagem Bella Swan é da forma como ela a interpretou. E o Edward... Bom, está claro realmente que o Siqueira NÃO leu os livros. Agora, fiquei chateada de verdade com o que ele falou sobre o Cam Gigandet. Ele foi um dos ATORES mais perfeitos em cena. O James que ele interpretou é da forma como ele apareceu. E sim, se ele gosta E SABE interpretar personagens iguais, que ele interprete personagens iguais, desde que o faça com perfeição, o que parece que é o caso.

Tenho repetido... NOS LIVROS porque a forma como os personagens aparecem NO LIVRO foi perfeitamente retratada no filme. Sim, o filme peca em muitas partes, sim, poderia ter sido muito melhor, mas que a pessoa ao menos CONHEÇA o universo para o qual está criticando e não apenas o faça porque não gostou do filme em si! E se o fizer... Ao menos faça com bom senso e não com comparações idiotas e infundadas!

Desculpa Siqueira, mas dessa vez você não foi tão feliz assim!

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 12:16:15
  | Encaminhar Este Post


(Peguei do Foforks) 

É possível morrer de felicidade? Se for possível podem apostar que eu, neste exato momento, estou morta, enterrada e no paraíso.

Há meses vocês me vêem falando de Crepúsculo, o quanto eu amo essa história e tudo o mais, falando do filme, mostrando cada coisa sobre isso, me tornando chata mesmo sobre isso. Fazer o que? Eu estou contaminada, e isso ninguém pode mudar. Mas o que eu não sabia, era que eu poderia ficar mais apaixonada ainda.

Os meninos vão falar que eu realmente, definitivamente pirei na batatinha, mas eu não me importo. O que me importa é falar que eu tive uma experiência que ainda não sei o que falar, nem como começar. Só fico lembrando de todas as cenas, da sensação que eu tive ao começar o filme, quando o Edward entrou na cafeteria... Nossa, nunca pensei que um filme fosse me fazer tão bem assim. Sério, eu já saí da sala de cinema deprimida, chorando, rindo, mas... Como eu saí de Crepúsculo... Sei lá, ainda estou tentando entender tudo isso que eu estou sentindo.

Tudo foi lindo (Até os gritos, vocês acreditam?) Simplesmente a parte que eu vou lembrar por um bom tempo são duas: A parte da floresta, e quando a Alice aparece. Gente, a Ashley simplesmente É a Alice, não tem como não ser. Quer dizer, ela simplesmente está linda. É a forma como eu sempre imaginei a Alice (personificação, entende?)

Ai caramba já nem sei mais o que eu estou falando, se isso tudo é somente ilusão da minha cabeça, se quando eu acordar amanha realmente vai existir um filme assim. É perfeito! O Robert e a Kristin simplesmente trouxeram para as telas algo surreal, algo lindo, singelo, intenso... Perfeito.

É estranho ter tanto o que falar e não saber como, nem porque... Foi uma coisa que simplesmente... Apaixonante!

Obrigada Steph por uma história tão perfeita. Obrigada Catherine por fazer esse filme se tornar realidade. Obrigada Robert e Kristin por serem simplesmente perfeitos para o papel! Vocês não sabem, mas fizeram um coraçãozinho no meio da floresta mais feliz!

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 00:04:40
  | Encaminhar Este Post

 

Estou tentando entender esse mundo. Estou tentando me acostumar com ele, mas parece que cada vez que eu tenho algo do gênero, aparece alguma coisa para me mostrar que realmente os seres humanos são criaturas interessantes, mas ao mesmo tempo estranhas.

Não sei, às vezes eu acho que sou eu... Quer dizer, um milhão de moscas não pode estar errado, certo? Quando são atraídas por coisas que simplesmente têm um gosto duvidoso? Não sei ainda, talvez sejam apenas ilusões de uma mente sem lembranças.

Esse brilho dessa mente sem lembranças que teima, de vez em quando, se acostumar com os seres humanos e tenta de todo o coração, voltar a confiar neles! Olha que para eu estar falando isso, a coisa é bastante complicada! São pessoas que eu realmente gosto sabe... Mas que de alguma forma acabam me mostrando o quanto eu estou errada! Como diz meu amigo Charlie Brown... Que puxa (Naqueles suspiros mais que profundos).

Quem quer que venha aqui, e por algum motivo achar que eu estou falando com você... Bom, desista, não é de ninguém específico que eu estou falando isso. São mais devaneios de uma cabeça que pensa demais, sonha demais e vive com um pé no mundo da lua... Às vezes eu realmente gostaria de apenas ser fruto da mente de algum escritor... Como seria bom saber que isso realmente não existe! Como será que eu ficaria como personagem de uma história, desenho ou anime? Com certeza, se for em anime, meu cabelo enorme preto! Não tão liso (Infelizmente, mas ainda assim volumoso - Como a Ray de Sailor Moon? Ou como a Hagome de Inuyasha?) De qualquer forma, ainda seria preto... Com algumas mechas em azul (minha cor preferida)

Estou com meus devaneios novamente, não é? Sei lá, às vezes é bom escutar o barulho da televisão em algum filme (que diga-se de passagem não estou entendendo nada, pois o filme está no áudio original) apenas deixando minha mente trabalhar e meus neurônios mandarem impulsos nervosos para os meus dedos funcionarem.

À noite estarei no cinemark... Esperei tanto tempo por isso que de repente bateu um medo injustificado de que o filme não seja tão bom. A última vez que isso aconteceu eu realmente fiquei muito chateada (mas mesmo assim não me impediu de soltar algumas lágrimas no cinema). Lembrei agora de "Big Girls don't Cry" - Não, não estou falando da música da Fergie, e sim de um filme de duas amigas... Intenso demais, forte demais... Perfeito demais... Não sei porque isso agora, mas lembrei da trajetória das duas meninas (Uma delas linda por sinal).

Tenho lembrado bastante das primeiras temporadas de Anos Incríveis (tanto que neste exato momento vêm lágrimas aos meus olhos) a única série que realmente marcou minha vida de maneira permanente, feito tatuagem. A forma como o Kevin conhecia a Winnie; e a forma como ela olhava pra ele... A forma como eles sempre resolviam as coisas e sempre ficavam juntos... Meu primeiro amor... A primeira vez também que eu realmente parava em frente à TV para rir, chorar, ficar com raiva... Nossa... É incrível como às vezes uma série parece ter sido feita a partir da nossa vida. Anos Incríveis... Kevin Arnold (nunca vou esquecer esse nome). Hoje não existe uma série de TV tão perfeita quando essa (Eu pensei que tivesse o mesmo amor por smallville, eu vi que a coisa não é bem assim). As outras, eu apenas acompanho. Sim.

Hoje à noite irei ver Crepúsculo (Enfim), mas é estranho como de repente tudo parece tão sem nexo, tão sem importância... Como fala o Wess em "O Procurado" eu realmente às vezes me preocupo como eu NÃO me preocupo com nada! Quer dizer... Tem coisas importantes que sim eu tenho que me preocupar (Como faculdade, emprego, OAB... E levar tudo isso a sério realmente tem feito a diferença) Mas, as outras coisas, entendem? Tédio? Não tanto... Não me importo se falam ou não comigo, não me importo se gostam ou não de mim... Sinceramente, ISSO não me importa nada! Fria? Talvez... Coração Gelado? Sim talvez... Mas pra que se preocupar com isso? Por que obrigar alguém a isso? Sinceramente eu não ligo! Falar ou não falar, eis a questão...

Que Puxa... Às vezes eu realmente queria ter MUITA grana mesmo para fazer algumas coisas que eu sempre quis fazer (Viajar por um LONGO período de tempo seria uma delas), abrir uma grande livraria outra delas (Fazer eventos e mais eventos dos livros a serem lançados... Pelo menos os que realmente importam).

Por que as pessoas simplesmente não podem deixar as outras pessoas ficaram com suas fantasias, seus sonhos, seus anseios sem fazer disso uma idiotice? Se você não gosta de determinada coisa, existem pessoas que gostam e como tal podem ficar triste com os comentários maldosos. Engraçado que parece que tudo o que EU gosto entra nesse rol de idiotice! Mas o que seria da vida das pessoas se não fossem essas idiotices? Afinal de contas, ser sério o tempo todo, ser centrado o tempo todo pode ser bem chato, monótono e tedioso. Eu não, ter responsabilidade sim, mas tendo brincando, senão você acabará morto, ou pior ainda no psiquiatra (Parafraseando Toquinho e Vinícius).

Não sei... Apenas gostaria de poder não achar que tudo o que eu faço não vale a pena, é inútil não simplesmente é em vão!

Ah sei lá... Bom até mais tarde para o post de Crepúsculo!

Beijos Gelados!

 

 Post feito ao som do filme "The Phanton"

Postado por vanessa.sc às 14:19:56
  | Encaminhar Este Post

Apenas para deixar a ansiedade um pouco pra lá, já que será AMANHÃ que eu estarei dentro da sala de cinema.. Bem na verdade essa hora eu já estarei em casa, mas, ainda estarei sob os efeitos do filme. Nem acredito... Demorou tanto que sinceramente eu não sei mais o que pensar!

Fonte: Foforks

Beijos Gelados

Postado por vanessa.sc às 21:35:22
  | Encaminhar Este Post

 Final do ano está chegando e com ele a volta daminha listinha do que foi legal pra mim durante o ano.

O ano começou até que bem legal com a minha viagem a São Paulo! Sim, eu fui novamente a São Paulo e ano que vem irei novamente. Não ficarei tanto tempo como esse ano, mas estarei por lá no dia 15 de Janeiro (O que é uma data MUITO importante).

O ano também começou não tão legal. Como alguns sabem não passei (de novo) na merda do exame da OAB (conta uma novidade Vanessa - Não falo disso, sabe aquela velha ferida...), mas o que ficou marcado pra mim (Além do meu fracasso óbvio) foi que no dia 22 de fevereiro (o mesmo dia do resultado) eu vi no UOL a seguinte notícia: MORRE O ATOR HEATH LEADGER. E isso me deixou completamente embasbacada. Sim porque ele iria aparecer no até então inédito Batman - Cavaleiro das Trevas (Lê-se filme do ano para alguns). Sinceramente, eu não entrei em choque, mas fiquei bem triste, pois se tratava de um cara novo com toda uma vida pela frente MUITO talentoso.

Mas vamos falar de coisas legais? O ano cinematográfico foi bastante significativo pra mim (apesar de não terminar o ano com pelo menos 52 ingressos). O primeiro filme que eu lembro de ter feito a diferença pra mim foi "Iron Man" que eu assisti duas vezes. Foi bem legal ver o Robert Dawney Jr de volta às telas e com um mega sucesso para fazer inveja a muita gente (Ele não perdeu o velho charme que me chamava a atenção em Ally McBeal). Depois veio o filme que TODOS estavam comentando (Até mesmo de uma maneira bem mórbida): O tal cavaleiro das trevas. Vou falar pra vocês, apesar de eu detestar o boca de velha que escolheram pra fazer o morcegão, o Heath chegou e simplesmente ROUBOU a cena do filme. Tanto que eu assistir três vezes (Gary Oldman tem esse poder sobre a pessoa que vos escreve) e cada vez que eu assistia, mais eu me certificada que o mundo do cinema perdeu uma grande estrela sim. O Coringa simplesmente foi PERFEITO. Sociopata e louco como o personagem deve ser, Heath Ledger fugiu de todo o qualquer estereótipo que já tenham feito do personagem. E sim, deixou o coringa do Jack no chinelo (Desculpa Jack, mas um dia você seria superado). Ano também de voltar à Nárnia. Mas dessa vez não pelo guarda roupa encantado, mas simplesmente através da corneta da Susan. Ano que eu conheci um Cáspian LINDO (mas longe de ser o Cáspian que eu imaginei já que o mesmo era apenas uma criança) e ver que o reizinho Edmond cresceu (e ficou um gatinho, diga-se de passagem), mas foi um filme completamente inferior ao primeiro (Esse, eu não passei de apenas uma vez mesmo). Então entra em cartaz um filme que chegou de mansinho e simplesmente se tornou um dos grandes sucessos de 2008. Tirando o fato de ter Angelina Jolie e James McAvoy no elenco, O procurado era completamente estranho para essa pessoa aqui. Sim, eu completamente apaixonada pelo Tumnus de Nárnia fui assistir ao filme. Foi o suficiente! Eu me apaixonei mais ainda por ele (Aqueles lindos olhos azuis fazem meu coração hiperventilar todas as vezes que eu os vejo). A cada cena, cada vez que ele ficava em close com aqueles olhos azuis eu simplesmente delirava literalmente (E a cena do beijo simplesmente me fez querer jogar saco de pipoca e copo de refrigerante na tela - Vaca Jolie). Bom, resultado disso tudo? O filme foi visto por mim simplesmente 04 vezes consecutivas no cinema (E não foi mais porque estrearam alguns filmes legais que eu também queria ver).

Agora vamos falar de coisa séria? Em meados de Abril, eu vi no MSN de uma amiga minha a seguinte frase: Crepúsculo me tira o fôlego. Então eu fui perguntar para ela o que significava tal frase. Pronto, foi o suficiente! Desde ABRIL eu fui contaminada por uma febre mundial que está difícil de curar (E sinceramente não sei se quero). Órfã de histórias envolventes, cheguei na Concorde e vi um livro com uma capa preta e um par de mãos segurando uma maçã. Quando olhei o verso... Pronto foi o suficiente para me convencer de comprar o tal livro. Comprei o livro e foi a minha "perdição". Com uma história envolvente Crepúsculo chegou para ficar dentro do meu coração. Contando uma história de amor completamente diferente das que tem por aí, esse livro foi lido em três dias. Claro, durante o processo de infecção e deslumbramento, me informei sobre a obra, a autora e tudo o mais. Descobri que havia (até então) mais duas continuações e o quarto livro estava em fase de acabamento. Resultado: Não consegui mais me desvencilhar do Edward, da Bella, do Jake, do Carlisle, da Alice e Cia. Sim, eu já havia lido "A Menina que Roubava Livros", mas Crepúsculo ainda me tira realmente o fôlego. Ah, esqueci de mencionar: como eu já era um caso perdido, resolvi levar comigo algumas pessoas: minhas primas, uma amiga de uma delas, minha aluna, uma amiga minha que mora em São Paulo... E por conta disso, acho que Manaus agora está deslumbrada pelo Edward Cullen e sua Bella Swan (Valeu Stephenie Meyer).

Mas minha vida não se resume apenas a livros e cinema. Esse ano, eu tive o IMENSO prazer de conhecer pessoalmente uma das pessoas que eu mais amo na vida. Luiz Maza. Ele veio passar uns dias aqui comigo (SIM ELE VEIO. Não, somos somente AMIGOS - Caso algumas cabeças de vento estejam pensando coisa feia). Simplesmente é uma pessoa maravilhosa (Se você já conhecer os gostos dele, claro) e super legal (Foi comigo ver o Show do Emmerson Nogueira e uma Opera ^^). Lindo, carinhoso e educado saiu falando super bem de Manaus (É só essa parte que eu ainda acho que ele é meio maluco, porque falar que em Manaus o atendimento é bom... Enfim rs) Luiz te amo muito e sabes disso!

(Continua na próxima Edição)

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 22:41:22
  | Encaminhar Este Post

 

Fonte: Cinema com Rapadura (Clique na imagem para ir até a página)

O sabre de luz utilizado pelo personagem Luke Skywalker, vivido por Mark Hammil. nos dois primeiros filmes da franquia "Star Wars", foi vendido para um fã pelo valor de US$ 240 mil. A arma foi um dos itens com mais destaque no leilão realizado em Hollywood, na última quinta, 11.

A
casa de leilões Los Angeles by Profiles in History afirma que arrecadou mais de US$ 3 milhões em vendas dos objetos dos filmes. Para o personagem Obi-Wan Kenobi, quem possui um Sabre de Luz pode fazer coisas que não podem ser feitas com uma mera arma de fogo. Os princípios foram ensinados para Luke na franquia.

Também foram leiloados o capacete do robô C3-PO, que foi arrematado por US$ 120 mil, o uniforme de super-homem usado por Marlon Brando ("Uma Rua Chamada Pecado"), vendido por US$ 72 mil, além de um pedaço a maquete usada para representar a "Estrela da Morte".

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 20:48:35
  | Encaminhar Este Post

Era estranho estar sentada naquela cadeira, na verdade poltrona, onde eu havia passado muitos momentos felizes nela... Foram tantos livros (Nas páginas deles eu ri, chorei, tive esperanças)... Não era justo agora isso que estava acontecendo me deixando com as piores lembranças como as últimas daquela poltrona.

No meu canto direito estavam aquelas malas. Era dolorido olhar para elas. Aquelas malas que tanto significavam viagens boas e felizes... Agora elas estavam paradas no canto direito dos meus olhos esperando que o dono viesse buscá-las. E ele veio!

Não demorou muito ele estava descendo as escadas. Preferi não olhar pra ele, pois todas as vezes que eu olhava para ele, meus canais lacrimais não obedeciam minhas ordens para não funcionarem.

A palavra "D" foi pronunciada! Certo, eu sei que nós não seremos os primeiros, e com certeza não seremos os últimos a usar essa palavra, mas mesmo assim, por que eu estou com a sensação de fracasso? Por que eu acho que todas as pessoas estão olhando para mim e vêem a palavra "fracassada" na minha testa?

Ele chegou perto da porta e suspirou. Acho que ele também sentia o mesmo peso do fracasso nas costas dele. Estranho era que eu não tinha nenhuma raiva daquela pessoa parada de frente para a porta com a mão na maçaneta. Quer dizer, não havia culpados disso tudo, certo? Afinal de contas... Quantas pessoas já não haviam usado a palavra "D" no mundo? Mas a verdade era que eu não queria ter que usá-la. Eu ainda o amava e era por isso que doía tanto.

Ele ainda estava parado na porta... E eu tentei falar alguma coisa engraçada na hora - algo do tipo que agora ele teria o controle remoto só pra ele ou algo assim. Ele até sorriu, mas não o sorriso que eu tanto amava... Era um sorriso mais pesado. Denso... Triste! Logo ele que sempre era alegre. É eu acho que o divorcio nunca faz bem para ninguém.

- Quando eu achar um local para ficar eu ligo... Para você não ficar tão preocupada!

- Obrigada! - Eu falei com uma voz que tive que me esforçar para que saísse em um tom razoável para uma pessoa normal escutar.

 

Ele ainda estava parado na porta, mas agora ela estava aberta. Eu acho que devia ser difícil pra ele sair da casa que ele sonhou quase a vida inteira. Lembro que, quando namorávamos, ele todos os dias passava por frente da casa e falava que um dia ele a compraria e seríamos muito felizes dentro dela... Sim, ele acabou comprando a casa com uma ótima comissão que ganhou no escritório. Não, nos não fomos felizes aqui dentro... E eu ainda não sei por quê.

- Olha... Você sabe que sempre poderá contar comigo para tudo, não sabe?

- Sim, eu sei.

A cada palavra que ele falava eu me enterrava mais na poltrona, lutando firmemente com meus canais lacrimais. Ele não estava chorando. Ele não iria me ver chorando. Havíamos combinado que isso era a melhor coisa, que era melhor terminarmos isso antes que passássemos a nos odiar. E com o passar do tempo, poderíamos reaver a amizade que há muito ficou esquecida. Como eu queria meu melhor amigo de volta novamente.

Mas meu melhor amigo agora era a pessoa que tinha o nome escrito no anel que está no meu dedo esquerdo... Talvez não por muito tempo, mas ainda assim...

- Então... É melhor eu ir indo!

- É...

Ele pegou as malas, claro, estava tremendo, talvez estivesse mais frio do que eu estava pensando e deu um passo. Quando deu um passo parou e jogou as malas no chão.

- NÃO. ISSO ESTÁ ERRADO.

- O que? Está faltando alguma mala? Quer dizer, se tiver eu posso ir lá em cima e...

- Não, ISSO está errado. Eu sair daqui está errado. O divórcio está errado.

- Mas nós combinamos que...

- Não, nós podemos quebrar isso. Tantas pessoas quebram tantas promessas todos os dias. - Ele falou se virando e se ajoelhando na minha frente. - Amor... Olhe dentro dos meus olhos e me fale que você está feliz com isso? Olhe, diga que não me ama mais que eu sairei por essa porta e nunca, nunca mais lhe incomodarei.

Eu juro que fiquei sem fala. Fiquei assustada. Quando eu olhei dentro daqueles olhos castanhos alguma coisa mexeu em mim. Eu não sabia o que, mas eu só sabia que eu não queria que aquela sensação fosse embora.

- Você sabe que eu ainda amo você!

- Nós podemos fazer com que isso dê certo. Eu sei que podemos. Eu sei que não perdemos o brilho que tínhamos há 07 anos. As pessoas sempre falaram que todos os casamentos têm a tal crise dos sete anos. Por favor... Vamos tentar novamente! Eu... Eu... Eu não consigo sem ter você! Eu não sou nada sem ter você. Eu adoro acordar todos os dias e sentir o cheiro dos seus cabelos, eu adoro acordar e saber que você será a primeira coisa que meus olhos verão...

À medida que ele foi falando eu não sabia mais o que fazer... Eu queria acabar com aquele sofrimento dentro dele, eu queria ver novamente o sorriso leve dele... Eu queria tê-lo de volta.

- Ah... Cala a boca! - Foi a única coisa que eu consegui falar antes de me jogar nos braços dele num abraço apertado em um beijo avassalador.

 Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 17:38:47
  | Encaminhar Este Post

Tomara que pegue o vídeo... Achei muito legal (Valeu Wag)

Postado por vanessa.sc às 10:32:33
  | Encaminhar Este Post

Turma de Crepúsculo colhendo os frutos do filme! Agora é a vez do Jackson Rathbone.

 

A adaptação ao cinema da série animada da Nickelodeon Avatar: The Last Airbender, que M. Night Shyamalan dirigirá, começou a escalar seu elenco.

O desconhecido Noah Ringer, lutador de karatê descoberto em uma seleção de elenco no Texas, sem experiência como ator profissional, será Aang, o Avatar (um espírito do planeta manifestado em forma humana), monge dos Nômades do Ar, que possuem a habilidade de manipular o ar ao redor. A Aang - último sobrevivente dos airbenders, "dobradores de ar", como diz o título - cabe a missão de manter as Quatro Nações em paz.

Conhecido por ter interpretado Jasper em Crepúsculo, Jackson Rathbone negocia para ser Sokka, amigo de Aang e guerreiro da Tribo da Água do Sul, que manipula o elemento da água. Já Nicola Peltz será Katara, irmã mais nova de Sokka.

Por fim, o cantor pop Jesse McCartney será o príncipe da Nação do Fogo Zuko. Exilado por seu pai, o vilão é enviado para capturar o Avatar em nome da sua honra e para ter direito ao trono daqueles que controlam o fogo.

Na história, um garoto de 12 anos precisa dominar seus poderes para trazer a paz ao mundo. Em uma era perdida, a humanidade se dividiu em quatro nações: a Tribo das Águas, o Reino da Terra, a Nação do Fogo e os Nômades do Ar. Dentro de cada nação, há uma ordem de homens e mulheres notáveis, chamados Benders (ou Dobradores, como são chamados aqui no Brasil), que são capazes de manipular seus elementos nativos num tipo de luta, o Bending, que combina artes marciais e mágicas. Para manter o equilíbrio entre as nações, a cada geração nasce um único Dobrador, que é capaz de controlar todos os quatro elementos. Essa pessoa é o Avatar, um escolhido que manifesta o espírito de todo o mundo em forma humana.

Intitulado simplesmente The Last Airbender (para não confundir com o Avatar de James Cameron), o filme sairá em 2 de julho de 2010.

 Beijos Gelados!

Fonte: Omelete

Postado por vanessa.sc às 13:12:29
  | Encaminhar Este Post

Todas as vezes que eu estou pensando em algo para escrever, sempre lembro de um texto do Zeca Camargo, lá pelos idos de 95 quando ele ainda escrevia uma coluna para a revista Capricho (mostre UMA menina dos anos 90 que não leu a revista que eu fico calada), falando sobre amor, amizade, ufanismo etc.

Claro que eu não lembro o texto todo, mas algumas coisas ficaram na minha cabeça de tal maneira que simplesmente sempre que eu me pego pensando me vem logo uma coisa para escrever. Na verdade, ele começou falando que, quando começamos um novo relacionamento (sabem como se faz isso?) muitas vezes a maioria das nossas amizades ficam prejudicadas por conta de só querermos falar e estar com aquela pessoa. Certo, realmente muitas vezes caímos no erro de nos afastar de todos para curtirmos uma vida a dois  - e talvez seja por isso mesmo que eu ainda esteja sozinha (Bom, se bem que eu não tenho tantos amigos assim para "abandonar") - que isso era natural e coisa e tal. Mas uma das frases bateu e ficou na minha cabeça, porque eu sempre o imagino suspirando forte quando ele escreveu. A frase era: faz tempo que eu não me apaixono... Essa frase ficou no meu consciente!

Se apaixonar... "fall in Love"... É, realmente faz muito tempo que eu não me apaixono, quer dizer APAIXONO. Sabe, aquele sentimento que faz teu coração bater tão forte dentro de você, que você acha que ele sairá voando? Ou aquele suor frio nas mãos que você não sabe de onde vem? Ou ainda... Ficar olhando uma loja de jóias onde ficam aqueles anéis que só são vendidos em dupla? E gostar disso? Ou então, vocês se olharem de tal maneira que tudo mais fica sem importância? ISSO faz tempo que eu não tenho! E se não fossem os "steps" da vida, sinceramente eu estaria me matriculando para aulas de beijos.

Mas... Até o beijo é sem graça! Tá o cara pode ser um expert na arte de beijo, mas, só saber beijar não é assim tão importante. O verdadeiro beijo, aquele que vai fazer você lembrar para o resto da vida, é aquele beijo que simplesmente faz você viajar. Esquecer que está na terra naquele curto espaço de tempo... E não ficar se lembrando da crise econômica mundial! A verdade é que beijos assim... Está difícil de voltar a acontecer. A não ser que você encontre alguém que saiba ler mentes, ou então que a pessoa que você quer que esse beijo ocorra... Enfim, deixa pra lá (cenas para os próximos capítulos)... Como diz a música: são apenas beijos sem paixão. E eu não quero mais beijos sem paixão...

Ah sim, o beijo? Ah, vocês sabem... Aquele beijo que começa com um olhar apaixonado, bobo? Sorrisos bobos? "Olhar todo apaixonadinho de cachorro perdido"? Então, a pessoa começa a se aproximar de você (no caso se quem estiver lendo for um homem, imagine-se aproximando-se para aquela garota que sempre aparece nos seus sonhos) e a cada passo seu coração bate muito mais rápido, sua respiração começa a não funcionar direito e suas mãos ficam como um oceano de tão molhadas? Então ele lhe toca o rosto, você fecha os olhos, pendendo a cabeça levemente para a mão dele, fazendo ele sorrir de tal maneira que os olhinhos dele ficam quase fechados e de repente... Some tudo! Ou seja, o tempo pára, os problemas somem e sua vida fica... Perfeita? Esse beijo está bem distante de mim! O sentimento está bem distante de mim. Quer dizer, estamos em época natalinas, talvez exista mesmo o tal milagre de natal!...Porque um beijo assim, somente com a pessoa certa, aquela que faz você ficar boba, aquela que faz você sorri simplesmente porque está vendo a pessoa feliz, aquela... Que se você sequer imaginar que estará para sempre longe da sua vida...

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 23:45:08
  | Encaminhar Este Post

Bom, infelizmente não adianta mais ficar batendo cabeça com porra de formatação porque o UOL não deixa mesmo, então... Novamente gente, sinto muito por essa bagunça que vão ficar os posts, ok?

Tirando o fato que isso aconteceu no PIOR momento, ou seja, cólicas, algumas coisas legais aconteceram essa semana. Primeiro, enfim a venda antecipada dos ingressos do filme começou (isso quer dizer que SIM dia 19 Crepúsculo estará estreiando por aqui por Manaus). Depois, li uma peça muito legalzinha de Aristófanes sobre a Greve do Sexo, uma sátira sobre a guerra do Peloponeso para a faculdade, eu ria muito de ver como os homens na peça ficaram maluquinhos com a falta de sexo (te falar, mulher quando quer frescar com a cara do homem é só fechas as pernas hueheuheuh =x - Comentário infame esse, mas tudo bem).

Tirando o fato que a TPM alcançou o grau máximo essa semana, eu estou até bem feliz, sabiam? Leve até... Sei lá... Aquela velha nostalgia de uma coisa que eu sei que é certa (apesar de não saber ainda que coisa é essa) voltou! Estranho isso... Mas enfim!

Estou pensando em falar sobre um filme que eu simplesmente... ai ai... Porque os "bad guys" sempre chamam a atenção feminina? Quero dizer, para quem viu o filme "O Fantasma da Ópera" e gostou sabe do que eu estou falando. Filme/Musical do Adrew Lloyd Webber é simplesmente perfeito (Estou falando do musical, certo?) "All I ask of you" é... Sempre eu fico com lágrimas nos olhos quando eu vejo o Fantasma cantando "Christine I Love... You" SIM eu torço pelo fantasma... O amor que ele sente por ela... Nossa, jogue a primeira máscara quem nunca se sentiu deslocado, quem nunca, NUNCA, NUUUUUUNCA sonhou com alguém tão apaixonado como o fantasma! Ele tem o tipo de amor incondicional mesmo, daqueles que duram "one lifetime" e ignonar isso... Bem com certeza não é muito certo!

A confusão da Christine entre esse tipo de amor doentio (mas, lindo de morrer) do fantasma, pelo amor saudável e sem muitas surpresas do Raoul é que chama a atenção. Sinceramente, não tem como NÃO torcer pro fantasma... Qual é? O cara amou a criatura a vida toda! Mesmo ela NÃO ficando com ele, ele sempre estava por perto. E, no filme, por mais que muitas vezes ela tivesse medo, ela era enlouquecida por ele!

Sim, eu sei, estou divagando novamente, coisas de quem não tem muito o que fazer, e que não está podendo dormir por causa da cólica!

Amor incondicional... Eu vejo muito isso nos filmes, livros, desenhos. Eu queria mesmo saber se ele existe de verdade. Quer dizer, será que existe ser humano capaz de amar INCONDICIONALMENTE outra pessoa? Não importando nada? Beleza, status, poder, grana, caráter... Amor pra toda vida! Como será que é você ter um sentimento tão forte assim por toda a vida? TODA A VIDA! Sonho de todos, realidades de muito, mas muito poucos mesmo.

"Você me tem incondicionalmente, ou me quer assim um pouco diferente" (Capital Inicial)

Postado por vanessa.sc às 23:38:35
  | Encaminhar Este Post

QUERO DEIXAR CLARA UMA COISA, A PARTIR DE HOJE O UOL BLOG ESTÁ OBRIGANDO A TODOS OS USUÁRIOS DO BLOG A USAR A FORMA DE FORMATACAO DOS HORRIVEIS FIREFOX E SAFARI, OU SEJA, SEM ACEITAR QUALQUER FORMA DE FORMATAÇÃO DO WORD! POR ISSO MEUS POSTS NÃO ESTARÃO COM CORES LEGAIS, COM FONTES BACANAS E PRINCIPALMENTE COM UM TAMANHO LEGÍVEL DE FONTE

SINTO MUITO POR ISSO À TODAS AS PESSOAS QUE VISITAM MEU BLOG! CASO ISSO PERMANEÇA ASSIM, CANCELAREI ESSA MERDA PORQUE ASSIM EU PREFIRO NAO TER BLOG NENHUM!

TENHO DITO

Postado por vanessa.sc às 11:31:42
  | Encaminhar Este Post

 

Já estava tarde da noite quando eu notei a noite escura! Não tão escura, pois as estrelas estavam brilhando mais que nunca! Então por que eu estava com lágrimas nos meus olhos? Por que essa estranha sensação de vazio insistia em ocupar meu coração?

Entrei, abri um refrigerante qualquer e sentei no sofá e fechei meus olhos. Eu detestava fazer isso, pois toda vez que eu o fazia a imagem do sorriso dela vinha à minha cabeça como uma bomba atômica e fazia com que eu, enfim, percebesse o que estava passando!

Eu não sabia mais o que fazer para poder fazê-la entender! Para fazê-la reconhecer que... Num impulso peguei o telefone! Queria ao menos escutar a voz dela, mais uma vez. Mais uma vez a secretária eletrônica...

Ela com toda a sua fortaleza... Por que me apaixonar por uma pessoa assim? Ela era brilhante, inteligente, tinha um sorriso lindo, mas completamente distante das pessoas. Parece que, quando mais perto as pessoas chegavam dela, mais distante ela ficava. "Eu não gosto de me apegar" ela falou certa vez durante algum almoço da empresa! Todos tinham medo de chegar perto dela, sempre séria, sempre concentrada... Sempre gentil.

E... Estranhamente eu sabia que ela sentia alguma coisa. Afinal de contas, ela não poderia ser aquela pedra de gelo com todas as pessoas. E quando ela olhava pra mim? Nossa, meu mundo se iluminava, mas apenas por uma única fração de segundo. Realmente, eu não conseguia entendê-la.

Sai para caminhar um pouco, a noite estava calma e o bairro também. Era bom ficar sozinho de vez em quando apenas para admirar o movimento das pessoas (ou simplesmente o silêncio). Encontrei alguns amigos bebendo em um bar, sorte a minha era que na manhã seguinte não teria que trabalhar. Juntei-me a eles e ficamos conversando. Alguns deles sabiam de tudo sobre a minha vida, e não conseguiam entender meus sentimentos serem tão fortes assim... O ruim de quando você se percebe apaixonado, é que quando isso acontece esse sentimento já está tomando conta de cada poro do seu ser. Alguns deles admitiam que ela era uma pessoa maravilhosa, mas que seu defeito era não se aproximar de ninguém... E que era isso que me maltratava mais, pois ela tratava a todos (E a mim principalmente) apenas como meros colegas...

O que eles não sabiam... Era que a mim ela era ainda mais fria! Ela não me tratava como um colega, mas apenas como conhecido! Isso me dava esperanças, talvez! Estávamos rindo quando eu a avistei! Mas o que ela estava fazendo aqui? Justo hoje? Olhei para a mesa em que ela estava... Aniversário de alguém! Claro, amigos antigos, parentes chegados... E ela... Estava sorrindo! Sim, aquele sorriso que eu amava. O sorriso de quando ela era ela mesma (pelo menos quando ela achava que ninguém estava olhando).

Notei alguns homens olhando para ela. Por mais que eu soubesse que eles jamais conseguiriam alguma coisa com ela, me dava raiva de ver que eles apenas estavam admirando uma pequena parte daquela mulher linda, doce, gentil, meiga e... Feliz! Sim, ela estava leve e feliz. Não conseguia desviar os olhos dela, meus amigos até tentavam fazer com que eu voltasse para a realidade da mesa deles, mas era impossível. Quando deixamos os sentimentos tomarem conta, jamais conseguimos ter o pleno controle das nossas atitudes novamente. Então o destino, que na maioria das vezes era meu amigo, começou a tocar uma música que eu sabia que ela adorava... Uma música que tocou em alguma série policial que ela vivia comentando de "arquivos mortos". Foi então que ela me olhou.

Por mais que meu coração tivesse batendo rápido, eu levantei e fui à direção... Primeiro do Dj e pedir para ele tocar a música novamente, depois fui à mesa dela. Ela estranhamente estava olhando para mim. Olhei diretamente nos seus olhos e... Aparentemente ela estava com medo de alguma coisa! Cheguei perto e sem falar nada, estendi minha mão que foi preenchida quase que instantaneamente. Fomos para a pista de dança e começamos a nos movimentar. Eu sei que estávamos nos movimentando porque meu lado racional estava avisando isso, mas... Eu estava nas nuvens. Estávamos dançando olhando um para os olhos do outro. Sentia o coração dela batendo tão rápido quando o meu... Puxei seu corpo para mais perto do meu... Ela passou os braços pelo meu pescoço e começamos realmente a dançar...

Aquela noite... Naquele bar... A forma como ela estava me olhando... A música que ela tanto amava... O toque delicado das mãos dela no meu pescoço... Foi nosso primeiro beijo... Mesmo sem nunca termos nos tocado de verdade!

Beijos Gelados

Postado por vanessa.sc às 10:50:58
  | Encaminhar Este Post

Hoje eu poderia falar do filme que eu assisti ontem Max Payne, mas isso fica para uma próxima vez. Quero falar do IR AO CINEMA!

Muita gente me recrimina por ir ao cinema sozinha (SIM, EU VOU AO CINEMA SOZINHA) acho que essas pessoas pensam que eu sou de Kripton (Quem dera). E confesso que eu tenho gostado muito desse lance de ir ao cinema sozinha.

É sozinha que eu fico reparando nas pessoas que resolvem aparecer por lá... De todas as tribos. Tornou-se minha distração enquanto espero a sessão começar. Feito em sua maioria por casais, o cinema hoje tornou-se quase que um “santuário” para ficar se agarrando dentro da sala de cinema.

Ok, dar uns beijinhos de vez em quando não vai matar ninguém, mas passar a sessão INTEIRA de agarração não dá. Eu ainda não entendo como alguém paga um ingresso de 16 reais pra ficar o filme inteiro: O que aconteceu agora? Sério, isso eu nunca vou conseguir entender. Cara, a gente vai AO CINEMA para VER FILMES. Quer se agarrar? O Afrodite está com uma promoção de 3x no cartão visa sem juros! Seria um local mais propício para tais atos.

E as conversas? Gente quer coisa mais irritante do que conversa DENTRO DA SALA DE CINEMA? Quer dizer, você querendo assistir ao filme e ter uma porra de um palhaço contando o filme todo pra idiota que está sentada ao lado dele, numa ridícula intenção de conquista, não dá! Isso me irrita profundamente! Quer conversar? A praça de alimentação está cheia de lugares e restaurantes para você fazer uma boquinha enquanto fica na mera tentativa de conquista.

Eu lembro que vi um vídeo do Maurício Saldanha (Do portal Cinema com Rapadura) reclamando da pipoca, que ele não gosta por conta do barulhinho que fica no cinema. Sério, sinceramente eu acho que ele nunca pegou essas duas situações descritas acima. Barulho do saco de pipoca? Nossa isso não é nada! Será que ele prefere ser contra esse barulho e fica feliz com o povo falando DURANTE O FILME? Eu acho que não.

Então, ir sozinha ao cinema te proporciona, não só reparar nos vários personagens que aparecem e também te poupa dessas duas repulsivas intenções de sociabilidade.

Certo, o ser humano é um ser social, vários filósofos cantam essa pedra. Mas eu garanto que se esses mesmos filósofos tivessem pessoas falando ao mesmo tempo em que eles estavam falando ou então nas bibliotecas que eles freqüentavam (levando em consideração que a maioria foi antes do tempo de Cristo, sequer do cinema) eu aposto que essa intenção de sociabilidade iria para o brejo, literalmente.

Isso não é questão de ser sociável, é questão de falta de educação mesmo. Você querendo ler a legenda (que muitas vezes não é das melhores) entender o que a criatura na tela está falando e ter a porra de um idiota “bodejando” no pé do teu ouvido? Ora, faça-me o favor! Não existe paciência que dure com uma coisa dessas.

Quando você vai ao cinema sozinha, você evita todas essas coisas chatas. Claro, da primeira vez, nossa, você irá se sentir um extra-terrestre literalmente, e vai achar que TODO mundo está olhando pra você (sinceramente eu não sei se essa sensação irá passar alguma vez), mas quando você passa um tempo ido sozinha, quando vai acompanhada você estranha e pasmem, acha que aquelas mesmas pessoas que olhavam pra você, quando você estava indo só, estará olhando para você porque está acompanhada! Isso é estranho!

Bom, o fato é que eu tenho preferido ir sozinha ao cinema (Tirando poucas e HONROSAS exceções) do que ir com qualquer pessoa. Tenho seguido a risca o lema: antes só do que mal acompanhado.

Beijos Gelados.

Postado por vanessa.sc às 11:37:12
  | Encaminhar Este Post

Humor Atual

Meu Perfil

Links

. Blog do Uol
. Letras de Musica
. Martha Falcão
. Omelete
. Cinema com Rapadura
. Cinemais
. Cinemark
. UFAM


Nome: Vanessa Carvalho

Nascimento: 28 de Janeiro

Signo: Aquário

Cidade: Manaus/Amazonas

Twitter: @Nessasc

Twitter²: @Filmes_Livros

Profissão:

Férias vitalícias. Terminei de escrever um livro chamado "Anos Incríveis" e pelo que parece vai sair mais cedo do que eu pensava, só falta eu deixar de ter preguiça e começar a passar para o computador.




Frase: "Can you put a price on your dreams?"


Gosto:

Eu gosto de estar com as pessoas que gostam de mim, gosto dos meus amigos, são poucos, mas eles são importantes pra mim. Estou apaixonada, muito, e estou muito feliz.Sou desconfiada, ciumenta (apesar de conseguir esconder até que bem isso das pessoas), seletiva nas minhas coisas, não perdoo fácil as pessoas quando me ofendem ou alguém que eu amo, tenho pouca paciência, não posso negar e sou bastante racional, dificilmente me deixo ser levada pelas minhas emoções. Mas sou muito chorona, choro em desenho animado, novela mexicana (FATO), quando estou triste, e também quando estou feliz. Choro em livros (Calafrio foi o último que eu chorei) e adoro escrever.



Odeio:

Injustiça e mentira, acho que essas duas palavras resume bastante como eu sou no cotidiano.




Filme:

Um filme que resume bem meu gosto por tudo na vida é Orgulho e Preconceito... Sim o sarcasmo, pra mim, mostra muito do sentimento não dito entre duas pessoas. Mas eu gosto também de filmes antigos como "Casablanca" e "Bonequinha de Luxo" (Ainda está para nascer alguém como a Audrey linda Hepburn. Gosto de filmes de ação, romance, drama, desenhos. Ainda estou em dúvida em relação às comédias românticas. Acho que elas deixaram o brilhantismo de Meg Ryan e Tom hanks nos anos 80/90, não inovam mais e sempre é aquela mesma coisa chata. Harry e Sally adoro o final do filme. Filmes do momento como a série Harry Potter (Sim, eu gosto), Saga Crepúsculo eu assisto por ter lido os livros, confesso, não espero muita coisa deles, mas são legais, filmes dos anos 80? Clube dos Cinco, Primeiro ano do resto de nossas vidas, Curtindo a vida adoidado, Goonies, Gremlins, e por aí vai...



Música:

Trilhas Sonoras de filmes, eu sou particularmente fã. Mas gosto do "The Fray", do "David Cook" (Ganhador do American idol de 2008), "Bon Jovi" (Always), Ana Carolina, Jota Quest, Skank, Emmerson Nogueira (Todos Mineiros - Adoro o sotaque mineiro), Lulu Santos (Ainda a trilha sonora da minha vida, não tem jeito), e claro, coisas que eu trago ainda da minha adolescência como Backstreet Boys. Músicas dos anos 80, do rock nacional sempre me animam.



Livros Lidos:

Crepúsculo (Saga Completa); Orgulho e Preconceito; As areias do tempo; Saga Millennium, O Clube do Filme, Anjos e Demônios, Calafrio, Feios, A menina que roubava livros, Dançando no ar, Wake.



Livros para Ler:

Fallen, Swoon, Símbolo Perdido, Coração Ferido, A Guardiã da Meia-Noite, Para Sempre, Lua Azul, O legado da Caça-Vampiros, A Princesa e o Gelo, e mais alguns que eu não lembro.



Lendo: Um beijo do destino.








:: Vanessa's Link::





Arquivo

01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/06/2010 a 30/06/2010
01/05/2010 a 31/05/2010
01/04/2010 a 30/04/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/11/2009 a 30/11/2009
01/10/2009 a 31/10/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005

Votação

[Avalie Este Blog]

Indique Este Blog

[Clique Para Indicar]

Visitas

Créditos

[ Layout ]
VICKYS.com.br
VICKYS.com.br

[ Powered by ]

XML/RSS Feed
O que é isto?

Leia este blog no seu celular